Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Banda grava clipe em gravidade zero

O OK GO ficou famoso por dançar em esteiras, agora flutua dentro de aviões

Por Felipe Germano Atualizado em 4 nov 2016, 19h10 - Publicado em 11 fev 2016, 19h45

O Ok Go é uma banda conhecida por seus vídeos sem cortes. Em 2006 ganharam fama com Here it Goes Again, em que apareciam dançando em cima de esteiras, depois disso foram clipes que usavam cachorros, tinta, monociclos elétricos. Sempre formando cenários grandiosos com coisas simples. Agora a banda quebrou algo muito maior do que recordes de visualizações: a lei da gravidade.

Para seu novo vídeo Upside Down & Inside Out, os integrantes entraram em um avião e filmaram em gravidade zero. O resultado é um videoclipe com músicos, dançarinas, bolhas de tinta, flutuando ao lado de doces e bolas de futebol. Você pode conferir o vídeo abaixo:

 

 

LEIA: Desafiando a gravidade: dá para jogar pingue-pongue no espaço

Para conseguir filmar em gravidade zero (sem apelar para cabos ou efeitos especiais), os músicos se aproveitaram de um fenômeno conhecido como “vômito de cometa”. A ação ocorre quando o avião forma uma parábola, subindo com uma inclinação de 45° e depois de conseguir altitude suficiente (cerca de 10 mil metros) , joga seu nariz para baixo, deixando o nariz da aeronave em paralelo à terra. Isso faz com que a força centrífuga cancele os efeitos da gravidade, ou seja, deixando tudo flutuando. A ação dura alguns segundos, e o avião volta a cair em uma inclinação de 30º, e quando ele atinge 7 mil metros de altura é possível deixa-lo novamente a 45º e repetir tudo. Abaixo ilustração abaixo produzida pela NASA, dá uma ideia de como funciona.

“Nós fizemos um sistema de uma única filmagem com oito parábolas”, afirmou Damian Kulash, vocalista da banda ao site da Red Bull. “Em cada voo você tem 15 parábolas e em cada parábola você tem 20 segundos com a gravidade dobrada, depois 50 segundos sem peso, e mais uns minutinhos para arrumar tudo de novo. Fizemos isso oito vezes seguidas, durou uns 40-45 minutos”. Nada fácil para quem não foi treinado pela NASA “Tínhamos entre 25 e 30 pessoas em a bordo, e durante os 20 vôos que fizemos no processo, acho que 58 pessoas vomitaram. Uma média de duas ou três por vôo” O nome da música, em português, seria algo como “De cabeça para baixo e do avesso”, afirmou Kulash. Fez jus ao título.  

LEIA TAMBÉM:
16 imagens do astronauta-fotógrafo que posta direto do espaço nas redes sociais
Como 10 coisas do seu dia a dia são feitas no espaço​
QUIZ: Realidade ou ficção? Diferencie as cenas de filme das fotografias tiradas no espaço​

Continua após a publicidade

Publicidade