Clique e assine a partir de 8,90/mês

Livros SuperImportantes

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 19h02 - Publicado em 1 fev 2010, 00h00

Descoberta polêmica

Galileu herético, Pietro Redondi, Companhia das Letras,São Paulo, 1991

Com base na descoberta de um documento inédito esquecido nos arquivos do Santo Ofício, em Roma, o historiador italiano Pietro Redondi remonta a história do julgamento de Galileu Galilei (1564- 1642) pela Inquisição, no século XVII. Segundo o autor, Galileu não foi condenado por defender, ainda que nunca abertamente, a teoria de Nicolau Copérnico – de que a Terra girava em torno do Sol –, mas por suas idéias de que a matéria não podia ser dividida indefinidamente e os átomos eram imutáveis. Dessa forma, tornava-se difícil explicar o dogma da Eucaristia, pelo qual o pão e o vinho se transformam no corpo e no sangue de Jesus Cristo. A denúncia de que Galileu era copernicano seria um expediente usado pelo papa Urbano VII, para protegê-lo de um julgamento muito mais rigoroso. Publicada, pela primeira vez, em 1983, na Itália, a tese de Redondi continua provocando polêmica entre os católicos e os cientistas.

Viva a diferença

História da vida privada, da Renascença ao Século das Luzes , volume 3, Philippe Áries e Georges Duby, Companhia das Letras, São Paulo, 1991.

Continua após a publicidade

Terceiro de uma coleção de cinco volumes, este abrange os séculos XVI,XVII e XVIII, período marcado pelo estabelecimento de novas formas de religiosidade, pela ampliação do poder do Estado e pela difusão da leitura graças à imprensa .A coisa pública já não se confunde mais com os bens ou interesses privados, e essa diferença se revela nas modificações pelas quais passa a vida cotidiana, como as atitudes em relação ao corpo, os gosto pela solidão e mesmo as novas concepções nas arquitetura e na arte.

Anônimos e autores

A multidão na história, Georfe Rude, Editora Campus, Rio d Janeiro,1991.

Que tipo de pessoas, afinal, atacou à Bastilha, no célebre 14 de julho de 1789? Como começaram os movimentos operários ingleses do século XIX, no período pós- Revolução Industrial? As rebeliões populares e seus personagens – camponeses, operários, artesãos, vagabundos – que fizeram a história da França e da Inglaterra, de 1730 a 1848, são investigados pelo autor, historiador inglês que leciona na Universidade de Concórdia, no Canadá. Na verdade, trata-se de uma reedição: o livro apareceu pela primeira vez, em 1964, tendo sido republicado em 1981.

Desafio brasileiro

Continua após a publicidade

A Amazônia, Antônio de Pádua Bertelli, Editora Uyara, São Paulo, 1990

Depois de escrever sobre o Pantanal, o cirurgião Antônio de Pádua Bertelli resolveu reunir em livro seus conhecimentos sobre a Amazônia. Das crendices, mitos e lendas que fazem parte do imaginário popular às descrições fartamente ilustradas de uma riquíssima fauna e flora, nada escapou ao painel que o autor traça da região. O último capítulo é dedicado aos problemas ambientais que a ocupação indiscriminada trouxe para a área – como as queimadas ou a extração de minérios que provoca o assoreamento dos rios. Além de motivo de preocupação dos ecologistas em todo o mundo, a preservação da Amazônia é um sério desafio a ser enfrentado.

Publicidade