GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Os Mais do Mês

1. Micro super produção
Sabe os filmes em stop motion – aquelas animações meio toscas com bonecos de massinha? Coraline, o filme 3D baseado no best seller de Neil Gaiman , não é nada disso. Ele também usa a técnica do stop motion, mas com tudo o que um orçamento de US$ 70 milhões pode dar: dezenas de rostos de boneca feitos à mão para montar os movimentos da boca em uma conversa, quilômetros de linha de costura para fazer uma miniperuca, maquetes gigantescas para cada cenário… O resultado é um mundo de sonho digno da imaginação fértil de Gaiman. E do preço de um ingresso de cinema.

Coraline
Nos cinemas dia 6/2

2. Arte da guerra
O diretor israelense Ari Folman serviu como soldado na guerra do seu país com o Líbano, em 1982. E usou a experiência para fazer um documentário de guerra diferente. É Valsa com Bashir, que conta a história do conflito a partir de 3 200 desenhos feitos à mão e cheios de detalhes. A animação só chega aos cinemas em abril, mas já vale ir vendo os trailers no YouTube (digite “waltz with bashir”).

3. Vidas breves
– 12 bilhões de anos da vida de uma estrela em 6 minutos: http://www.youtube.com/watch?v=mZL7VBmeFxY

– 17 anos da vida de um cara em dois minutos: http://www.youtube.com/watch?v=oqw6CpY4dzg

– 4. Parabéns, Darwin
– Se Charles Darwin fosse longevo como uma tartaruga das Galápagos, faria 200 anos em fevereiro. Veja 3 livros clássicos para você saber tudo sobre a Evolução em bem menos tempo do que isso:

1. O Livro de Ouro da Evolução, Carl Zimmer

Primeiro passo para entender a evolução: pisar no convés do Beagle. É na jornada do navio de Darwin que começa a grande narrativa de Carl Zimmer. Se você quer saber em detalhes o que aconteceu nos 200 anos de história da teoria e, de quebra, entender as ideias centrais da maior sacada científica de todos os tempos, pode embarcar sem medo.

Ediouro, 600 páginas, R$ 63

2. O Relojoeiro Cego, Richard Dawkins
Depois de se familiarizar com a teoria, vem o 2o passo: compreender como ela funciona. Segundo Dawkins, a evolução guia o desenvolvimento dos seres vivos do mesmo jeito que um relojoeiro cego constrói um relógio. Estranho? Pode ser. Mas ele mostra que basta examinar o monte de gambiarras aleatórias escondidas aí dentro do seu corpo ou compreender como se constrói um olho para concordar com ela.

Companhia das Letras, 496 páginas, R$ 55

3. A Perigosa Ideia de Darwin, Daniel Dennett

Após entender direito a evolução, vem o 3º passo: compreender o poder dela. O livro de Dennett explora o conceito de evolução muito além do domínio da biologia. Você quer saber como a perigosa ideia de Darwin revolucionou a química, a engenharia, a computação, a medicina, a antropologia e as ciências sociais? Está disposto a pensar até em ética e religião do ponto de vista da evolução? Então vale a pena encarar o perigo.

Rocco, 612 páginas, R$ 68

5. Mundo playmobil
Já falamos aqui do tilt shift, uma técnica de fotógrafos e de magos do Photoshop que faz paisagens reais parecer miniaturas tipo Playmobil. A diferença é que agora a coisa ficou democrática: este site aqui simula o efeito com qualquer foto que você colocar lá.

tiltshiftmaker.com/


6. “Faça o crime compensar. Torne-se advogado.”

Will Rogers, comediante americano

Esta frase aqui está no verbete “advogado” deste livro, que fala de 100 “empregos idiotas”. A graça dele é que não tem empregos realmente inusitados ali, tipo “masturbador de touro”, mas, sim, o lado imbecil de funções mais glamorosas, como presidente da República, autor de best seller e magnata.

100 empregos idiotas… e como consegui-los

Stanley Bing, Panda Books, 264 páginas, R$ 35,90


7. Jogo da amarelinha

Julio Cortázar deu uma lufada de ar fresco na literatura em 1963 com O Jogo da Amarelinha, um livro em que o leitor vai construindo a história conforme lê os capítulos em ordem diferente. Demorou, mas essa fórmula chegou ao mundo dos filmes. É Late Fragment, um dvd em que você, com o controle remoto, escolhe a ordem das cenas e vai montando tramas diferentes. Aqui tem uma demonstração de como a coisa funciona: http://www.latefragment.com/on/2008/06/interactive-demo/

8. Catatau do mês
O Conde de Montecristo, de Alexandre Dumas, saiu publicado originalmente em 18 folhetins, entre 1844 e 1846, e foi escrito com um time de colaboradores. Esse intervalo longo mais a variedade de autores fez com que a história completa tivesse algumas contradições, que atrapalham a leitura. Nesta nova tradução, notas explicativas ajudam a driblar o problema. E, de quebra, ela tem 170 gravuras que saíram nas primeiras edições francesas. Tá aqui o melhor jeito de mergulhar num dos maiores romances de aventura da história.

O Conde de MonteCristo

Alexandre Dumas, Zahar, 1 373 páginas, R$ 129

9. Vinho nerd
O rótulo das garrafas é inspirado na tabela periódica, com os tipos de uva no lugar dos átomos. Boa pedida para comemorar seu mestrado em física quântica.