Clique e assine a partir de 8,90/mês
Mundo Estranho

Por que gatos são mais independentes que cachorros?

E mais: por que eles se esfregam em nós? Por que dormem tanto? A ciência ainda não conseguiu solucionar mistérios do comportamento felino – mas há algumas pistas.

Texto: Gabriela Portilho | Design: Andy Faria | Ilustrações: Augusto Zambonato

P

or causa da história, da socialização e até da genética dos felinos. Enquanto cães já convivem com os seres humanos há 50 mil anos, os gatos nos acompanham há apenas 8 mil, o que demonstra que eles ainda não passaram por um processo completo de domesticação. Além disso, cachorros têm uma predisposição natural a aceitar ordens, “herdada” de sua vida selvagem, já que os caninos evoluíram em bando, com uma hierarquia bem estruturada.

Os gatos silvestres, por outro lado, sempre foram caçadores solitários. Sua relação com outros indivíduos – seja um gato, seja um humano – é uma parceria entre iguais. Por fim, nos cães, cientistas identificaram 41 genes ligados à domesticação. Nos gatos? Apenas 13.

Por que eles se esfregam na gente?

Grandes felinos roçam uns nos outros quando voltam da caça, o que pode ser uma demonstração de companheirismo. Também pode ser uma forma de demarcar território, já que esse contato espalha o cheiro do gatinho nos seus “alvos”. Assim, ele está determinando que nós (e nossas coisas), na verdade, somos dele. Além disso, com esse ato, o bicho pode estar reconhecendo que somos maiores, mas não superiores.

Por que eles dormem tanto?

Uma teoria é de que os gatos são, por natureza, caçadores. Assim, instintivamente, poupam o máximo de energia para o momento de buscar uma presa. Em média, eles dormem de 16 a 18 horas por dia, mas é um sono leve, interrompido rapidamente ao primeiro sinal de perigo. Talvez por isso eles tirem pequenos cochilos, e não durmam pesado por longos períodos, como os humanos.

E eles sonham?

Alguns estudos dizem que eles alternam o sono leve (cerca de 70% do tempo) com períodos de sono profundo. Nestes últimos, podem ser observados os movimentos rápidos dos olhos (REM, em inglês), que também ocorrem quando os humanos estão sonhando, além de atos involuntários, como a agitação das patas e das unhas ou a rotação das orelhas. Tudo isso faz alguns especialistas acreditarem que, sim, eles sonham!

É verdade que só miam para humanos?

Sim. Gatos em ambiente selvagem raramente miam entre si. Essa comunicação parece criada exclusivamente para a interação com humanos. Somos uma espécie falante, e os gatos sacaram isso, o que facilitou o seu processo de domesticação. Os gatos que sabiam miar com jeitinho para pedir comida viraram os favoritos dos nossos antepassados. Como é uma característica aprendida, cada gato mia de um jeito único, de acordo com o seu dono. Eles conseguem emitir cerca de 100 sons diferentes. Os cães, por volta de dez.

É verdade que eles não sabem conviver com humanos e precisam aprender?

Sim. Essa é uma característica que os filhotinhos têm que assimilar. O aprendizado começa quando eles nascem e termina por volta das 7 ou 8 semanas de idade. O gato que é muito tocado ou manuseado nessa idade vai se tornar mais afetuoso e ligado aos humanos. Do contrário, pode se tornar mais arredio e pouco simpático à nossa presença.

Continua após a publicidade

Por que eles ronronam? É verdade que a vibração faz bem?

Ainda não se sabe exatamente por que, nem como. Algumas pesquisas sugerem que o ruído seria produzido pela passagem de ar nos brônquios; outras, por certos vasos do coração. Mas gatos não ronronam só quando estão felizes: o barulho aparece também quando estão machucados ou doentes, como uma espécie de mantra tranquilizador. A maioria vibra em uma frequência entre 20 e 140 Hz, considerada terapêutica tanto para eles quanto para os humanos.

É verdade que cada ano de idade do gato equivale a dez anos dos humanos?

A proporção não é tão direta assim. E há diversas tabelas de conversão adotadas por veterinários. O principal consenso é que o primeiro ano equivale a cerca de 16 anos humanos. Ou seja, em apenas 12 meses ele passa por toda a infância e parte da adolescência, com as típicas evoluções corporais, metabólicas e cognitivas de uma “fase de crescimento”.

O corpo fala!

As orelhas e o rabo podem dizer mais do que mil palavras…

1 • tô de boa =)   2 • que bom te ver   3 • adooooro você!

4 • tô bonzinho   5 • tô irritado

6 • tô com medo…   7 • tô furioso!

8 • tô relaxado   9 • quero brincar   10 • que medo…    11 • sai, tô bravo!

Continua após a publicidade