Clique e Assine por apenas 8,90/mês

Cidade pré-colombiana pode ter feito parte de “El Dorado”

Apesar de ser uma lenda, existiu uma civilização que baseou o mito. E, agora, pesquisadores encontraram cidades ligadas a esse povo.

Por Ingrid Luisa - 23 out 2019, 18h42

Graças ao mito de El Dorado, uma cidade toda construída em ouro maciço perdida no meio da floresta, centenas de exploradores se aventuraram pelas matas da América do Sul na época da colonização espanhola. Mas, na verdade, historiadores têm quase certeza de que uma cidade em que o ouro brotava da terra nunca existiu – acabou sendo fruto de exageros típicos do boca a boca.

A teoria mais aceita para a origem do mito está mais relacionada a uma pessoa que propriamente a uma cidade: “El Dorado”, que significa “o dourado”, fazia referência a um líder tribal que costumava se cobrir de pó de ouro em ocasiões especiais. Segundo historiadores, esse líder provavelmente pertencia a uma civilização conhecida como Tairona, que vivia em montanhas isoladas e de difícil acesso cobertas de mata, em Sierra Nevada de Santa Marta, na Colômbia. Pouco se sabe sobre os Tairona; tudo que se encontrou sobre eles eram ornamentos cobertos de ouro.

Mas, agora, o explorador americano Albert Lin e o arqueólogo colombiano Santiago Giraldo descobriram uma antiga cidade Tairona, que pode ter feito parte do reino do famoso “El Dorado”. O local, que foi fundado por volta de 800 d.C. e abandonado durante a conquista espanhola, fica no topo de uma colina íngreme a uma altura de cerca de 1.500 metros, escondido pela densa floresta. Ele fica próximo a Ciudad Perdida, localidade que também pertenceu aos Taironas e hoje é um dos principais sítios arqueológicos da Colômbia.

A equipe de pesquisadores, que explora a região há 20 anos, já suspeitava da existência de outras cidades próximas: na entrada da Ciudad Perdida, há uma grande e misteriosa “pedra do mapa” – uma grande rocha contendo várias marcas que os arqueólogos acreditam indicar os caminhos que ligam Ciudad Perdida a outras localidades pertencentes à civilização.

Continua após a publicidade

Apesar da evidência, a inclinação do terreno, a densa selva e o afastamento do local – assim como o fato de a área ter sido ocupada pelas FARC no passado – impediram que os pesquisadores fizessem uma “caça ao tesouro” em busca dessas cidades. Mas, agora, a tecnologia deu uma mãozinha: usando sensores LiDAR (Light Detection and Ranging), os pesquisadores conseguiram detectar novas cidades dos Taironas.

Essa tecnologia revela a topografia do terreno e as estruturas artificiais que estejam cobertas por vegetação. Usando pontos de laser gerados por sensores LiDAR, que percorreram a região amarrados em helicópteros, a equipe conseguiu criar um modelo 3D da área ao redor de Ciudad Perdida, revelando localidades humanas nunca antes vistas.

Com a ajuda da polícia colombiana, os cientistas já conseguiram visitar um dos seis assentamentos descobertos graças à tecnologia. Segundo os pesquisadores, o LiDAR pode ajudar a revelar toda a dimensão de uma civilização ainda desconhecida.

Publicidade