Clique e assine a partir de 8,90/mês

Como as máfias funcionam?

Na base da disciplina, da organização rígida e do amor à camisa

Por Da Redação - Atualizado em 31 out 2016, 18h23 - Publicado em 29 fev 2008, 22h00

Rodrigo Cavalvante

Como toda organização, a máfia tem seu organograma de trabalho. A estrutura que se tornou mais conhecida foi a da Cosa Nostra, nos EUA, com sua hierarquia clara e centralizada em forma de pirâmide (veja ilustração ao lado). No topo aparece o chefão (ou don), com um conselheiro e um subchefe no andar debaixo. Os capi (chefes), espécie de tenentes, formam a terceira fileira da hierarquia. E abaixo deles vêm os soldados, responsáveis pelo trabalho sujo. Na base da pirâmide estão os “associados” – juízes, políticos, empresários, traficantes, gigolôs, assassinos de aluguel e todo tipo de parceiro que possa ser comprado para facilitar os negócios da máfia.

Há quem considere, porém, essa estrutura vertical e centralizada incompatível com a flexibilidade exigida pelos negócios de qualquer organização mafiosa hoje em dia. “É preciso livrar-se da imagem de um ‘polvo’ com uma cabeça e milhares de tentáculos”, afirma o historiador italiano Salvatore Lupo. “Os mafiosos estão inseridos em negócios que os ligam a assuntos que não pertencem à máfia: intermediários, criminosos de todo tipo e nacionalidade, narcotraficantes turcos ou chineses, banqueiros.”

A necessidade de diversificação de negócios e de intercâmbio global, hoje, obriga o crime organizado a operar em rede, como a internet – sem um centro de poder que, uma vez destruído, acabe destruindo toda a organização. Resultado: máfias como as italianas, russas e japonesas continuam tendo um organograma de trabalho. Mas sua estrutura é cada vez mais complexa e horizontal, bem diferente do esquema clássico de organização da Cosa Nostra americana.

Continua após a publicidade

Mafiosos S.A.

Segundo o organograma clássico da Cosa Nostra, a máfia deve operar como uma empresa

DIRETOR EXECUTIVO:

O subchefe da máfia é o responsável pela execução das decisões tomadas pelo chefão. Cabe a ele fazer com que os subordinados executem as tarefas que lhes são delegadas.

PRESIDENTE:

O chefão, conhecido como don, responde pelas grandes decisões, resolve conflitos internos e mantém todos na linha. Como maior “acionista” da organização, deve ser protegido de vínculos com a base da pirâmide.

Continua após a publicidade

CONSELHEIRO:

O papel do consigliere é aconselhar o chefão, por meio de um julgamento menos apaixonado e mais imparcial. Caberia a ele legitimar as decisões tomadas pelo superior, assegurando que elas sejam “justas”.

GERENTES:

Conhecidos como capi, cada um deles comanda uma atividade ilegal da organização mafiosa. São os responsáveis pelos resultados de suas áreas, comandando quadrilhas que podem reunir centenas de homens.

Continua após a publicidade

OPERÁRIOS:

São os chamados soldados, categoria pela qual todo mafioso ingressa na carreira. Cabe a eles fazer todo o tipo de trabalho sujo – sem jamais envolver o nome dos superiores em suas ações.

PARCEIROS:

Políticos, empresários, juízes… Os “associados” são todos aqueles que podem prestar algum serviço ou manter negócios com a máfia, sem pertencer à organização.

Publicidade