Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Navio que desapareceu em 1929 no Triângulo das Bermudas é identificado

Todos achavam que a embarcação estava no Triângulo das Bermudas, mas pelo que parece, a história não é essa. Entenda o sumiço do famoso SS Cotopaxi.

Por Carolina Fioratti
Atualizado em 7 mar 2023, 16h59 - Publicado em 30 jan 2020, 18h21

Um navio desaparecido há 95 anos foi identificado nos últimos dias. Não podemos usar a palavra “encontrado” pois, bem, isso já aconteceu 35 anos atrás. A história do SS Cotopaxi – batizado em homenagem ao vulcão de mesmo nome, no Equador – é bem menos empolgante do que todos imaginavam. 

Vamos lá: a embarcação zarpou no dia 29 de novembro de 1925 em Charleston, na Carolina do Sul (EUA). Com 32 passageiros a bordo, deveria seguir a rota para Havana (Cuba). Porém, no primeiro dia de dezembro, o sinal foi perdido.

A falta de qualquer registro fez com que todos pensassem que o navio tinha sido mais uma vítima do Triângulo das Bermudas – região do Atlântico que compreende Ilhas Bermudas, Porto Rico, Bahamas e Fort Lauderdale (Flórida), e que se tornou famosa pelos mistérios que a rondam. Centenas de aviões e navios já se perderam por lá. As explicações sobre os sumiços ainda são insuficientes, e há quem acredite em fenômenos geofísicos (e outros, em histórias sobrenaturais). 

O SS Cotopaxi apareceu como um meme no filme Contatos Imediatos de Terceiro Grau, do diretor Steven Spielberg, em que a embarcação é identificada em um deserto (vídeo abaixo). A fama é tanta que o barco chegou a ser vítima de uma notícia falsa em 2015, sobre a chegada de um navio fantasma em Cuba, que circulou na internet. 

Continua após a publicidade

A história real

Continua após a publicidade

Michael Bernette, produtor de Shipwreck Secrets (algo como “Segredos de Naufrágios”, em inglês), série que estreará no Discovery Science no dia 9 de fevereiro, resolveu investigar o caso do SS Cotopaxi – e aproveitar para garantir o piloto de seu programa. Ele recrutou o historiador britânico Guy Walters, que ficou responsável por buscar informações sobre o navio.

A equipe vasculhou diversos documentos, e encontrou um chamado de socorro enviado pelo navio no dia do seu desaparecimento. A mensagem partia da Flórida, o que motivou Bernette a ir para o estado procurar por pistas. Eles mapearam a rota, coordenadas e outras dicas presentes nos documentos encontrados. Tudo isso para chegar à incrível conclusão de que o Cotopaxi havia sido encontrado há 35 anos, na cidade de Santo Agostinho, fora do Triângulo das Bermudas. 

O navio foi identificado por um mergulhador que encontrou os destroços, mas como não tinham detalhes na época, batizaram a embarcação de Bear Wreck. A dimensão do navio, comprimento, medição da caldeira e orientação geral do maquinário confirmam a identidade da embarcação. Nada de sumiço sobrenatural desta vez.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.