Clique e assine a partir de 8,90/mês

Navio que desapareceu em 1929 no Triângulo das Bermudas é identificado

Todos achavam que a embarcação estava no Triângulo das Bermudas, mas pelo que parece, a história não é essa. Entenda o sumiço do famoso SS Cotopaxi.

Por Carolina Fioratti - Atualizado em 30 jan 2020, 18h24 - Publicado em 30 jan 2020, 18h21

Um navio desaparecido há 95 anos foi identificado nos últimos dias. Não podemos usar a palavra “encontrado” pois, bem, isso já aconteceu 35 anos atrás. A história do SS Cotopaxi – batizado em homenagem ao vulcão de mesmo nome, no Equador – é bem menos empolgante do que todos imaginavam. 

Vamos lá: a embarcação zarpou no dia 29 de novembro de 1925 em Charleston, na Carolina do Sul (EUA). Com 32 passageiros a bordo, deveria seguir a rota para Havana (Cuba). Porém, no primeiro dia de dezembro, o sinal foi perdido.

A falta de qualquer registro fez com que todos pensassem que o navio tinha sido mais uma vítima do Triângulo das Bermudas região do Atlântico que compreende Ilhas Bermudas, Porto Rico, Bahamas e Fort Lauderdale (Flórida), e que se tornou famosa pelos mistérios que a rondam. Centenas de aviões e navios já se perderam por lá. As explicações sobre os sumiços ainda são insuficientes, e há quem acredite em fenômenos geofísicos (e outros, em histórias sobrenaturais). 

O SS Cotopaxi apareceu como um meme no filme Contatos Imediatos de Terceiro Grau, do diretor Steven Spielberg, em que a embarcação é identificada em um deserto (vídeo abaixo). A fama é tanta que o barco chegou a ser vítima de uma notícia falsa em 2015, sobre a chegada de um navio fantasma em Cuba, que circulou na internet. 

A história real

Michael Bernette, produtor de Shipwreck Secrets (algo como “Segredos de Naufrágios”, em inglês), série que estreará no Discovery Science no dia 9 de fevereiro, resolveu investigar o caso do SS Cotopaxi – e aproveitar para garantir o piloto de seu programa. Ele recrutou o historiador britânico Guy Walters, que ficou responsável por buscar informações sobre o navio.

A equipe vasculhou diversos documentos, e encontrou um chamado de socorro enviado pelo navio no dia do seu desaparecimento. A mensagem partia da Flórida, o que motivou Bernette a ir para o estado procurar por pistas. Eles mapearam a rota, coordenadas e outras dicas presentes nos documentos encontrados. Tudo isso para chegar à incrível conclusão de que o Cotopaxi havia sido encontrado há 35 anos, na cidade de Santo Agostinho, fora do Triângulo das Bermudas. 

O navio foi identificado por um mergulhador que encontrou os destroços, mas como não tinham detalhes na época, batizaram a embarcação de Bear Wreck. A dimensão do navio, comprimento, medição da caldeira e orientação geral do maquinário confirmam a identidade da embarcação. Nada de sumiço sobrenatural desta vez.

Continua após a publicidade
Publicidade