Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Pirâmide: Pedra sobre pedra

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h21 - Publicado em 31 out 2004, 22h00

Embora a pirâmide mais famosa seja a de Quéops, no Egito, a maior do mundo fica no México. É a pirâmide de Quetzalcóatl, construída na cidade de Cholula de Rivadávia, a 100 quilômetros da capital mexicana. Com 65 metros de altura e uma base de 450 por 450 metros, a obra tem volume estimado em 3,3 milhões de metros cúbicos. Na egípcia, são 2,4 milhões de metros cúbicos. Dedicada ao deus Quetzalcóatl, ou serpente plumada na língua nativa, a pirâmide foi erguida entre os séculos 2 a.C. e 16 da era cristã. Com o passar dos anos, principalmente depois da colonização espanhola, a vegetação cresceu em cima das pedras e deixou o templo com a aparência de uma colina verde. Hoje é possível reconhecê-la por causa da igreja católica Nossa Senhora dos Remédios, que os espanhóis construíram no topo.

Um viajante desatento talvez duvidasse da existência da pirâmide de Quetzalcóatl. Mas os arqueólogos já escavaram nove quilômetros de túneis no interior do templo. A exploração é ainda mais complicada porque a obra foi ampliada por gerações e gerações de diferentes povos mesoamericanos do período anterior à chegada de Cristóvão Colombo ao novo continente, em 1492. A atual cidade de Cholula, que está localizada cerca de 2 150 metros acima do nível do mar, abriga uma das poucas vilas que não foram totalmente destruídas pelos exércitos de Fernando Cortez (1485-1547) no século 16.

Você precisaria da água de 1 737 piscinas olímpicas, usadas em competições internacionais de natação, com cerca de 1,9 milhão de litros cada uma, para preencher o volume da pirâmide de Quetzalcóatl, em cholula de rivadávia, perto da capital mexicana

Publicidade