GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Marilyn Manson nunca removeu as costelas

Nem eles nem celebridades com cinturinha fina – lembra da Thalia, de Maria do Bairro?

Vira e mexe, aparece a história de uma celebridade que teria removida as costelas. Às vezes por motivo estéticos – Shakira, Beyoncé e até a atriz mexicana Thalia (de quase todas as novelas que você gostava) já foram acusadas de dever a cinturinha à cirurgia. Outros famosos, como Marilyn Manson, são acusados por motivos bem mais… estranhos.

Começando pelo falatório estético. A cinturinha fina da atriz e cantora mexicana Thalia sempre chamou a atenção do público, desde as suas primeiras aparições. Ela garante que o corpo de violão é fruto de um traço genético. A intérprete de Maria do Bairro teria nascido com os ossos da região torácica menores que o normal. Com mais de 40 anos hoje, ela ostenta quase as mesmas medidas de 25 anos atrás, com uma silhueta de 50 cm.

Já a versão relacionada ao cantor Marilyn Manson é mais bizarra. Reza a lenda que Brian Hugh Warner – seu nome verdadeiro – teria retirado alguns ossos para facilitar a autofelação, como é chamada a prática em que um homem faz sexo oral em si mesmo. Ele já desmentiu a história diversas vezes e até se diverte com as teorias. “Acho que vou ligar para um cirurgião”, brincou, em sua autobiografia, The Long Hard Road Out Of Hell.

Apesar de parecer loucura, o procedimento de retirada de costelas existe. Na cirurgia, um ou dois pares de ossos da parte inferior do tórax são serrados junto à coluna vertebral. A operação, entretanto, não é recomendada. “Remover costelas irá deixar toda a região torácica mais exposta a lesões ou traumas. Até mesmo do ponto de vista estético é desaconselhável, pois o seu resultado é claramente artificial”, alerta a cirurgiã Adele Gonzales, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

A propósito, desbancando outro mito comum sobre o cantor: Manson não fazia o papel de Paul na série Anos Incríveis. O nome do ator que fez parte da série era Josh Saviano.