GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

A história de Salomão e os 72 anjos que ele invocou e aprisionou

Salomão ficou famoso pela sua história na Bíblia; mas a dos anjos está no Ars Goetia, o capítulo mais famoso do grimório A Chave Menor de Salomão

Quem é Salomão?
O rei é um dos personagens mais famosos da Bíblia. Filho do rei Davi, ele teria governado por volta dos anos 970 a.C. Realizou o famoso julgamento entre duas mulheres que alegavam ser mãe de um bebê: mandou cortar a criança ao meio, até que percebeu que a mulher que se dispôs a perder a filha para que ela não morresse era a verdadeira mãe

Lendas do rei
Os feitos de Salomão o tornaram famoso – tanto que surgiram várias histórias a seu respeito que não estão na Bíblia. As mais famosas seriam a construção do templo (onde a Arca da Aliança, contendo os dez mandamentos entregues por Deus a Moisés, teria sido guardada) e os demônios que o rei teria invocado

Presos no vaso
Parte do poder e da sabedoria do rei teria vindo dos 72 seres que ele teria conseguido atrair e prender dentro de um vaso de bronze. Selado com símbolos especiais, capazes de manter os espíritos escravos de Salomão, o objeto nunca poderia ser quebrado, sob o risco de que todos os demônios seriam libertados e desobrigados de obedecer ao monarca

Leitura dinâmica
O Ars Goetia é o primeiro capítulo do livro e, também, o mais famoso – uma vez que conta como Salomão alcançou o seu poder com a ajuda dos demônios. Mas existem outras quatro partes: Ars Theurgia-Goetia, Ars Paulina, Ars Almadel e Ars Notoria. Eles descrevem os seres do mal, contam como eles foram invocados e quais os símbolos usados para prendê-los

Veja também

Obra tardia
Apesar de serem impressionantes, os relatos sobre a façanha de Salomão foram escritos no século 16. Inspirado em lendas da cabala e de autores místicos do islamismo, o caso recebeu diferentes versões curtas até ser reunido numa única obra, no século 17: A Chave Menor de Salomão, um dos mais famosos grimórios (leia mais sobre eles)

Artefato poderoso
O tal vaso seria feito de bronze e daria a seu dono uma série de poderes: extrair informações dos mais próximos, destruir os inimigos, ouvir e entender os recados da natureza, encontrar tesouros e curar doenças. Por isso, tornou-se um objeto procurado por arqueólogos e magos, interessados em adquirir o poder conquistado no remoto século 10 a.C.

Destino incerto
Reza a lenda que, para punir Salomão por sua arrogância, Deus teria escondido o vaso em uma gruta na Babilônia. Ao encontrarem o artefato, babilônios desavisados libertaram 71 seres – apenas Belial continuaria aprisionado. A história é refutada por aqueles que acreditam que o vaso continua inteiro e ainda pode ser usado ou até mesmo reconstruído

Hierarquia do mal

Veja a divisão dos demônios e os elementos para prendê-los. O livro é típico da Idade Média e os seres são organizados de acordo com a nobreza típica da Europa

Clique aqui para ver maior

 (Divulgação/Reprodução)

FERRAMENTAS DE SALOMÃO

Os acessórios usados para controlar os demônios presos no vaso

 (Divulgação/Reprodução)

Hexagrama
Também conhecido como “selo de Salomão”, deve ser colocado sobre uma roupa branca nova. Isso faria os demônios aparecerem diante da pessoa, numa forma física não assustadora e falando o mesmo idioma de quem o chamou. O selo deve ser forjado como um amuleto, de ouro ou prata, e usado sobre o peito

Anel mágico
Além do amuleto, é importante usar este anel, também feito de ouro ou prata e cheio de símbolos especiais, que formam uma combinação misteriosa e poderosa. Protege o exorcista dos ataques, em especial do bafo de enxofre dos espíritos. E, quando apontado contra eles, os obriga a realizar qualquer pedido, incluindo matar alguém

Vaso de cobre
Depois de controlar os demônios, Salomão teria usado um vaso, selado com símbolos especiais – cada um funcionaria como uma fechadura para cada ser. Se ele não obedecesse, o selo seria destruído e ele ficaria preso pela eternidade. Dentro do espaço de não mais do que 50 cm de altura, o dono do vaso pode manter um exército a seu dispor
Invocando o espírito

Veja exemplos de frases usadas nas “orações” para conjurar os anjos caídos

“Invoca-te e te conjuro, ó espírito. Eu ordeno que você, por intercessão dos mais poderosos príncipes, gênios e ministros do Tátaro, apareça.”
“Em nome do príncipe-chefe da Nona Legião de demônios, eu te invoco e te conjuro.”
“Senhor todo-poderoso. Eu ordeno que você apareça dentro deste círculo, numa forma humana, sem nenhuma deformidade ou monstruosidade.”
“Ordeno que me venha em paz, sem atraso, e satisfaço os meus desejos.”

FONTES Site Hermetics.org; livros The Lesser Key of Solomon, de Joseph H. Peterson; e Dictionnaire Infernal, de Jacques Auguste Simon Collin de Plancy