Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Como é um teatro por dentro?

Muito além da plateia e do palco, um teatro é cheio de salas, passagens, vãos e áreas técnicas

Por Mariana Nadai Atualizado em 4 jul 2018, 20h13 - Publicado em 17 mar 2012, 14h45

Muito além da plateia e do palco, um teatro é cheio de salas, passagens, vãos e áreas técnicas. Tudo fica escondido para que os funcionários possam zanzar de lá para cá sem serem notados. Também existem teatros menores e mais simples, mas um que recebe grandes produções, como as famosas peças e musicais da Broadway, pode ter mais de cinco andares, com vários camarins para a acomodação dos atores, área de convivência para o elenco, sala de imprensa e uma grande estrutura para a montagem de luz e de cenário.

teatro-fantasia-cinema-plateia-raio-aplauso-cena-ator

RAIO X DA CENA

Nada disso pode ser visto pela plateia, mas é tudo essencial

Em um grande teatro, há vários locais para sentar.
 A plateia fica à frente do palco. Acima dela, as galerias. Nas laterais, os camarotes no começo e 
no fim das produções, a grande estrela é a cortina. Geralmente vermelha, ela funciona de forma manual ou mecânica.

De ladinho

Formada por cortinas pretas, a coxia 
fica nas laterais do palco e é para onde
 os atores vão quando saem de cena ou onde aguardam antes de entrar. Em geral, há entre três e cinco delas. Em algumas produções, a coxia também ajuda os atores a se posicionar dentro do palco.

Teto de varas

O teto do palco é cheio de barras de metal ou madeira utilizadas para pendurar partes do cenário e equipamentos de luz. Para mexer as varas, os técnicos usam os contrapesos – cordas presas a sacos de areia ou caixas mecânicas, que ficam nas paredes laterais do palco.

Escondidinho

Em muitos teatros, na beira do palco, há
 um fosso – um buraco no chão. Em peças 
ou espetáculos de dança com música ao vivo, os músicos ficam lá dentro. O
 palco também pode ter pisos removíveis, 
chamados de quarteladas, usados para
 truques de pessoas caindo em buracos
 ou atores surgindo de forma mágica.

Som e luz

Atrás da plateia, quase escondida, fica a cabine de luz e som. Na salinha, com uma janela de vidro voltada para o palco, os técnicos controlam os microfones, a música e as luzes. 
Em todos os teatros, as cabines ficam nesta posição para que os técnicos tenham uma boa visão do palco.

Durante a apresentação,
 os técnicos andam 
o tempo todo. Para isso, usam um corredor que atravessa o palco por cima.

Continua após a publicidade

Sala dos espelhos

Atores e bailarinos se arrumam no camarim, uma sala com banheiro, espelhos e luz. Os pequenos, ocupados pelos atores principais, ficam perto do palco para garantir o acesso rápido. Já os maiores se encontram em andares diferentes para evitar que o barulho vaze.

Concentração

Antes de entrar em cena, os atores esperam sua vez perto do palco. Para que o andamento da peça não seja prejudicado, alguns teatros têm área para a concentração. Quando os camarins estão longe do palco, esta área também serve para a troca de roupas. Lá, o silêncio é fundamental.

Extras

Bem afastado dos olhos do público, ficam a sala de convivência (onde
 fica a cozinha do teatro), a sala de imprensa (onde convidados conseguem ter um acesso privado ao teatro e os atores falam com a mídia) e a parte administrativa – um escritório comum, com mesas, computadores e telefones.

RESPEITÁVEL PÚBLICO

A interação entre plateia e palco define os tipos de tablado

Arena

Existe desde a Grécia antiga. Geralmente redonda, é totalmente cercada pela plateia.

Elizabetano

Surgiu no século 16. Parte do palco avança sobre a plateia – é o chamado proscênio.

Italiano

Foi criado entre os séculos 15 e 16. É o mais comum e dá melhor condição de visibilidade.

FONTES: Fernanda Santos, assessora de imprensa do teatro Bradesco, ctac.gov.br

Continua após a publicidade
Publicidade