GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como foi a morte do ditador romano Júlio César?

O líder recebeu 23 punhaladas em um assassinato coletivo organizado pelo Senado romano

Julio Cesar

ILUSTRA Rafael Sarmento

PERGUNTA DA LEITORA Tatiele Praia da Silva, Boa Vista, RR

1.Júlio César (100 a.C.-44 a.C.) chegou ao poder em Roma em 46 a.C., após uma guerra civil contra nobres conservadores.Os oficiais que o acompanharam nessa batalha esperavam que ele compartilhasse o poder político e a riqueza após a vitória. No começo, isso até rolou. Mas, em 44 a.C.,César se declarou ditador perpétuo, na contramão da tradição romana republicana

2. Sua sede por poder não foi bem vista pelo senado, que decidiu eliminá-lo. César planejava deixar Roma em 18 de março de 44 a.C., para uma campanha militar. Mas, três dias antes, ao chegar para um encontro com o senado, foi abordado por Tílio Cimbro, que apresentou uma petição para trazer o irmão de volta do exílio. Era só um pretexto

Julio Cesar

3. O primeiro a apunhalá-lo foi Publius Servilius Casca. O estadista tentou resistir, mas outros senadores se revezaram no ataque. César foi ferido nas mãos, nos braços, na cabeça e, especialmente, no torso, num total de 23 punhaladas. Um dos líderes da tramoia foi Marco Júnio Bruto, um amigo próximo. Mas a frase “Até tu, Brutus?” foi invenção de William Shakespeare, na peça Júlio César

4. Os conspiradores fugiram da cidade e o restante do senado teve de acalmar o povo, exaltado com o crime. Com o tempo, as coisas se normalizaram, mas a república não durou muito, afetada por disputas internas pelo poder. Otaviano, sobrinho-neto e filho adotivo de César, caçou os assassinos de seu pai e, em 29 a.C., tornou-se o primeiro imperador de Roma

LEIA MAIS

Como se escreve zero em algarismos romanos?

Como foi a erupção do Vesúvio?

Como lutava uma legião romana?

Por que os heróis gregos e romanos usavam coroas de louro?

FONTES Sites DW, National Geographic, Biography, History, PBS e Britannica

CONSULTORIA Campbell Grey, professor de história clássica da Universidade da Pensilvânia (EUA), e W. Jeffrey Tatum, professor de história clássica da Victoria University of Wellington (Nova Zelândia)