GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como funciona o Cup Noodles?

A história do macarrão instantâneo começou em 1958, no Japão

Para milhões de pessoas poderem despejar água fervente num copo e matar a fome em poucos minutos, rola (e já rolou!) muita mão de obra. A história do macarrão instantâneo começou em 1958. Num Japão que ainda sentia os efeitos da 2ª Guerra Mundial, o empresário Momofuku Ando (1910-2007), fundador da Nissin, criou o miojo – o primeiro sabor foi de galinha. Na época, o produto era um luxo e custava seis vezes mais do que o macarrão tradicional. Em 1971, um funcionário da Nissin, Takeshi Otaka, sugeriu embalar o miojo num pote de isopor – o design do copo é o mesmo até hoje -, batizado posteriormente de Cup Noodles.

Rango histórico
Em Osaka, no Japão, há um museu dedicado ao Cup Noodles. Diariamente, 1 500 visitantes aparecem para conhecer a história do produto

Mão na massa
O macarrão instantâneo já vem cozido e temperado de fábrica

1. A massa é levada por uma esteira para ser pré-cozida no vapor. Depois disso, ela é prensada por cilindros para ficar fina antes de passar por lâminas que a cortam em fios com 2 mm de espessura – em cada pote há cerca de 80 fios, com 40 cm de comprimento

Prato leve

No Brasil, usa-se plástico duro na embalagem. Em outros países, os copos podem ser de papel e de isopor, que, além de ser leve e barato, é um ótimo isolante térmico. Assim, o recipiente perde pouco calor, mantendo a água quente por mais tempo

2. O miojo do Cup Noodles tem um gostinho a mais que o macarrão comum. Para dar sabor aos fios, mergulha-se o macarrão por dez segundos num tanque com água a 30 oC, temperada com sal e glutamato monossódico

Sabor aos pedaços

Por causa dos temperos acrescentados antes da fritura, o miojo (e não apenas o Cup Noodles) é mais amarelado que o macarrão comum. Depois de frito, na hora de embalar, são acrescentados temperos em pó e pedaços de alimentos desidratados

3. O macarrão é distribuído em fôrmas arredondadas e mergulhado no óleo para fritar por dois minutos. O processo desidrata o macarrão, o que facilita a embalagem. Mas a massa que tinha 315 calorias vai para 420 – a cada 90 g

Panela boa

O bloco de macarrão é forçado contra as paredes do copo, aumentando a resistência da embalagem e minimizando danos durante o transporte. O espaço vazio no fundo do pote serve para isolar parte da água, mantendo a temperatura de cozimento

• No Japão, o nome do miojo de copo é Cup Noodle, sem o “s” no final, e há 15 sabores disponíveis

Consultoria Paulo Yoshida, engenheiro de alimentos especializado em macarrão instantâneo
Fonte www.nissin-noodles.com e The Book of Ramen, de Ron Konzak