GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

É possível fazer plástico sem usar petróleo?

Sim! Os biopolímeros são plásticos produzidos a partir de matérias-primas renováveis como cana-de-açúcar, milho, óleos de girassol, soja e mamona. Esse material é tão versátil quanto os derivados de petróleo, podendo se transformar tanto em plásticos duros como em versões que parecem borracha. A grande vantagem dos biopolímeros é que eles se decompõem muito mais rápido, não emporcalhando o meio ambiente por dezenas de anos. “As bactérias decompositoras não têm enzimas para digerir os polímeros feitos a partir do petróleo. Já os biopolímeros são bem mais familiares para elas”, afirma a pesquisadora Marilda Taciro, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) . Enquanto um plástico feito de petróleo leva em média 40 anos para se decompor, os biopolímeros demoram no máximo três. Segundo o IPT, cerca de 270 mil toneladas de bioplásticos já são fabricados por ano e, até 2015, a produção pode chegar a 1 milhão de toneladas. Ainda assim, será muito pouco se compararmos com a produção atual de plástico petroquímico, que é de 180 milhões de toneladas/ano! Como a escala de fabricação ainda é pequena, 1 quilo de biopolímero custa por volta de 4 dólares, preço até quatro vezes maior que o plástico derivado do petróleo.

Trinca verde
Conheça os três principais tipos de biopolímeros produzidos atualmente

POLÍMEROS DE AMIDO (PA)

ORIGEM – Produzido a partir do milho, da batata, do trigo ou da mandioca. O amido desses vegetais é retirado e passa por um processo químico de desestabilização e rearranjo da cadeia de moléculas, formando um material plástico

USO – Principalmente para a fabricação de sacos de lixo e material para preencher embalagens

POLILACTATOS (PLA)

ORIGEM – Produzido a partir do ácido láctico feito por bactérias. Um caldo “açucarado” de fontes como melaço, açúcar de beterraba ou soro de leite recebe bactérias que fermentam o líquido e produzem ácido láctico. Por processos químicos, esse ácido é transformado em plástico

USO – Como matéria-prima para embalagens, principalmente as destinadas a proteger produtos secos

POLIHIDROXIALCANOATO (PHA)

ORIGEM – Produzido por bactérias que se alimentam de cana-de-açúcar, milho e óleo vegetal. Num biorreator, sob determinadas condições químicas, as bactérias alimentadas fabricam polímeros, que ficam armazenados em suas células

USO – Por ser biocompatível – não rejeitado pelo corpo humano -, é muito utilizado na área médica para fios de suturas e próteses