GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Glitter realmente faz mal ao meio ambiente?

Conheça algumas alternativas mais sustentáveis para brilhar no Carnaval

 

Sim. Análises de plânctons da década de 1960 mostram que glitter e purpurina já prejudicam a vida marinha desde aquela época, e a quantidade desses pozinhos brilhantes só aumenta a cada ano, especialmente no Carnaval.

Segundo o biólogo marinho Cláudio Gonçalves, por serem microplásticos, esses produtos não podem ser retirados do ambiente e acabam contaminando o solo e o fundo dos rios e dos mares. “Eles são feitos de petróleo e liberam continuamente substâncias químicas presentes na sua matriz plástica, além dos pigmentos sintéticos, que dão sua cor e brilho”, explica Gonçalves.

Para piorar, eles também atrapalham a fotossíntese das algas e podem ser ingeridos pela fauna aquática, seguindo pela cadeia alimentar até afetar a dieta dos humanos.

Alternativas ecológicas
– Sal com corante alimentício
– Açúcar com corante alimentício
– Pó de mica
– Pó de urucum (colorau)
– Pó de pimentão (páprica)
– Gelatina com corante alimentício
– Glitter de confeiteiro
– Filtro solar colorido
– Produtos de maquiagem

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você