Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Mulheres que mudaram a história: Margaret Thatcher

Amada e odiada, ela colocou o Reino Unido nos eixos. E ainda foi decisiva para que o fim da Guerra Fria não desse início a uma 3ª Guerra Mundial

Por Tiago Cordeiro
Atualizado em 22 fev 2024, 10h06 - Publicado em 6 mar 2018, 11h57

Assim que assumiu o posto de primeira-ministra, a primeira mulher no cargo em toda a história do país, Thatcher deixou claras suas intenções: “Vou transformar a Inglaterra de uma sociedade do ‘Me dê tudo’ em uma nação do ‘Faça você mesmo'”. Os britânicos enfrentavam uma crise econômica grave, e o começo de governo, em 1979 e em 1980, foi marcado por greves, protestos e até mesmo falta de alimentos.

Mas Thatcher se manteve fiel a seus princípios – essa era uma de suas características mais marcantes, que fizeram a imprensa soviética apelidá-la de Dama de Ferro, um codinome que ela adorava. Em poucos anos, a situação melhorou e a premiê conseguiu modernizar o sistema produtivo da Inglaterra. Diminuiu a inflação e o desemprego. Cortou impostos e privatizou indústrias estatais.

Coerente com suas ideias, reduziu os programas assistenciais e o espaço dos sindicatos. Foi amada e odiada do começo ao fim de seus 11 anos de mandato.

Líder arrojada

Thatcher já sabia exatamente o que fazer quando chegou ao poder. Desde o começo da década de 1970, ela vinha insistindo para que o Partido Conservador se atualizasse. Começou cortando subsídios para empresas, uma medida que, num primeiro momento, provocou um número recorde de fechamento de empresas. Pressionada, manteve-se coerente com seus objetivos. “As coisas vão piorar muito antes de começar a melhorar”, prometia, alegando que precisava primeiro arrumar a casa. Deu certo, e o país recuperou sua economia.

Ela também resgatou a importância dos premiês britânicos para o cenário internacional, ao fazer a ponte entre Estados Unidos e União Soviética – isso a partir da chegada de Mikhail Gorbachev ao poder, em 1985, porque antes a Dama de Ferro fazia de tudo para ajudar os americanos na formação de uma corrente de defesa militar, composta de mísseis balísticos e nucleares sempre prontos a dar o primeiro disparo.

Chefe durona

A premiê também defendeu com ardor (como fazia com tudo) que o Reino Unido continuasse fazendo parte da comunidade de países europeus. A adesão acontecera em 1973, mas era questionada com frequência. Se os britânicos fizeram parte da União Europeia até 2016, quando votaram pela saída do bloco, foi em grande parte graças à influência de Thatcher.

Continua após a publicidade

Os debates sobre a União Europeia e uma nova fase de dificuldades econômicas puseram fim ao regime da premiê. Thatcher deixou o cargo em novembro de 1990. Recebeu o título de baronesa e se tornou uma palestrante muito bem- sucedida. Morreu em 2013, aos 87 anos.

Em 1999, um de seus principais assessores, John O’Sullivan, diria que ela era dura consigo mesma e com os mais próximos, especialmente seus ministros. “Mas havia uma distinção: quanto mais humilde a posição, mais agradável ela era.”

Seus grandes acertos

Modernizou o país

As duras medidas econômicas estabelecidas pela premiê ajudaram a recuperar a economia do país e a melhorar o setor produtivo.

Continua após a publicidade

Aproximou inimigos

Thatcher diminuiu os atritos entre dois líderes com quem tinha boas relações, o americano Ronald Reagan e o soviético Mikhail Gorbache.

Venceu uma guerra

Foi sob seu comando que os britânicos superaram os argentinos na Guerra das Malvinas, e assim mantiveram o poder na região.

Continua após a publicidade

Seus grandes fracassos

Agravou diferenças

Para os críticos da premiê, as políticas que ela defendia acabaram por aumentar a distância entre os mais ricos e os mais pobres do país.

Não negociava

Intransigente, nunca mudava de ideia. Mesmo quando ficava claro que sua posição estava errada, ela enchia o ouvinte de fatos a seu favor.

Continua após a publicidade

Reduziu o leite

Como secretária da Educação, em 1970, tentou diminuir a distribuição de leite gratuito nas escolas. A repercussão foi péssima.

Dica de filme

A Dama de Ferro, de 2012, retrata a fase final da vida de Thatcher, interpretada por Meryl Streep.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.