GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

O futuro segundo “O Conto da Aia” e outras três distopias clássicas

A nova temporada da série inspirada no livro estreia em 25/4 nos EUA. Este guia rápido vai te ajudar a entender este (e outros) futuros assustadores

 (Adriel Contieri/Mundo Estranho)

O CONTO DA AIA

Autora Margaret Atwood (1939-)
Publicação 1985
Sinopse Com a fertilidade feminina em queda e terrorismo em alta, uma ditadura religiosa se instala nos EUA e revoga os direitos das mulheres. As poucas ainda capazes de engravidar viram serviçais para reprodução, mas uma delas se recusa a aceitar esse destino

1) TIRANIA EM NOME DE DEUS
Após um ataque terrorista matar o presidente dos EUA e abrir fogo contra membros do Congresso, o exército declarou estado de emergência. Pouco tempo depois, um movimento fundamentalista cristão chamado Filhos de Jacó ganhou força e suspendeu a Constituição dos sobre o pretexto de restaurar a ordem. O país mudou o nome para República de Gileade.

2) POR TRÁS DE TODO GRANDE HOMEM…
A submissão da mulher tornou-se institucional, mas aconteceu gradualmente. Primeiro, elas foram impedidas de trabalhar, depois tiveram seus bens bloqueados e, por fim, seus direitos revogados. Desde então, a sociedade foi reorganizada de modo que a única função das mulheres é servir aos homens. Até para sair de casa elas precisam pedir permissão a eles. E elas também são proibidas de ler. Afinal, a leitura pode lhes dar ideias subversivas.

3) VACAS PARIDEIRAS
Mudanças inexplicadas no meio ambiente esterilizaram a maioria das mulheres. As que ainda são férteis foram forçadas a virarem escravas exclusivas para reprodução. Cada Aia é atribuída a um Comandante dos Filhos de Jacó e, todo mês, deve se deitar com a cabeça entre as pernas da esposa dele, como num ritual, para ser estuprada. Se engravidar e conseguir completar a gestação (as chances são de 25%), é obrigada a dar o bebê ao casal.

4) INDIGNA DE UM NOME
A Aia permanece na casa até o fim do período de amamentação. Depois, é obrigada a partir para outra residência e começar tudo de novo, sem nunca mais ter contato com o(a) filho(a). Ela não é dona nem do próprio nome: é rebatizada sempre com o prefixo “of” (“de”, em inglês), seguido do nome de seu dono. A protagonista, que serve ao Comandante Fred, é chamada de Offred.

5) AS NOVAS “CARREIRAS” PARA MULHERES
Além das Aias, há outras castas femininas em Gilead. As esposas dos Comandantes servem para apoiar o marido e cuidar do lar. As Marthas são empregadas responsáveis pela limpeza e pela comida. As Tias preparam as Aias através de um treinamento rígido, cheio de torturas e humilhações. Por conta de seu prestígio, as Tias são livres para circular pela cidade sem a permissão de um homem

6) MODA SOB CONTROLE
As roupas são fundamentais para diferenciar as mulheres. As Aias se vestem inteiramente de vermelho (simbolizando o parto de Maria Madalena), exceto por uma espécie de chapéu branco que esconde o rosto e não permite enxergar os arredores. As esposas usam azul, que representa a pureza de Virgem Maria. Viúvas vestem preto. As Tias usam marrom e as Marthas, verde.

7) CALE-SE OU MORRA
Os Filhos de Jacó não perseguem apenas mulheres. Gays são enforcados como “traidores do gênero”. Médicos que faziam abortos antes da revolução são caçados e assassinados. E qualquer outra pessoa que tentar se rebelar pode ser executada, ter uma parte do corpo extraída ou ser enviada para as Colônias, um lugar remoto onde ninguém sabe exatamente o que acontece.

 

 (Adriel Contieri/Mundo Estranho)

1984

Autor George Orwell (1903-1950)
Publicação 1949
Sinopse Em um país fictício com um regime ditatorial que controla rigidamente seus cidadãos e novas ideias, um funcionário público passa a se rebelar contra o governo

1) ELE ESTÁ DE OLHO
A trama se passa num futuro em que a Inglaterra se tornou a Pista No 1, controlada pela ideologia IngSoc (“socialismo inglês”). O Partido no poder é comandado pelo Grande Irmão, uma figura idolatrada e temida pelo povo, porém nunca vista pessoalmente. Ele é dono da verdade, da moral e de todas as virtudes, e vigia constantemente cada cidadão. (Essa eterna patrulha inspirou o nome do reality show Big Brother, em que os participantes são vigiados 24 horas por dia.)

2) REALIDADE AUMENTADA
O Partido define o que faz parte ou não da história. Para isso, usa o Ministério da Verdade, que, ironicamente, altera livros, falsifica fatos e elimina documentos contrários à sua ideologia. Desse jeito, o Grande Irmão nunca erra previsões ou descumpre promessas. Tudo que envolve comunicação, artes, entretenimento e educação passa por lá.

3) AMOR QUE OPRIME
O controle do povo cabe ao Ministério do Amor. Cidadãos com pensamentos rebeldes são capturados, torturados e submetidos a lavagem cerebral até se “corrigirem”. Para esse órgão, não basta eliminar o opositor: é preciso retorná-lo à mentalidade do Partido. Sua sala mais famosa é a 101, onde prisioneiros são expostos a seus piores medos.

4) É GUERRA!
É mais fácil manipular as pessoas se elas estão com medo. Seja do governo, seja de invasores estrangeiros. Por isso, em 1984, a nação está sempre em guerra. Contra quem ou por que não importa – afinal, é o Ministério da Verdade quem define isso. Já o Ministério da Paz, cheio de cientistas e militares, cria novas armas e mantém o conflito rolando.

O mundo foi dividida em apenas três nações: A Eurásia compreende toda a Europa (exceto a Grã-Bretanha), parte do Oriente Médio e quase todo o norte da Ásia. A Lestásia inclui China, Japão e o norte da Índia e chega até o Irã. Já a Oceania engloba a América, a Oceania, o Reino Unido e o sul da África. As demais áreas estão sob eterna disputa.

5) MIGALHA GOURMET
As pessoas têm uma vida miserável. Vestem-se com roupas comuns, possuem poucos itens particulares e recebem cotas mínimas de ração. Mas, graças aos comunicados oficiais do Ministério da Pujança, que gerencia as questões econômicas, todos acreditam que vivem em um mundo bom e farto. E, portanto, a guerra é necessária para preservá-lo.

6) SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO
As teletelas, espalhadas pelas ruas e em todos os lares, não podem ser desligadas. No máximo, podem ter seu volume diminuído. Elas são uma via de mão dupla: transmitem boletins oficiais e propagandas do Partido, mas também são câmeras de vigilância. A Polícia das Ideias pode investigar alguém apenas por parecer triste em frente às câmeras.

7) FÉ NO PARADOXO
A melhor maneira de manter os indivíduos sob controle foi criar o conceito do duplipensar, que os estimula a aceitar simultaneamente duas crenças opostas como corretas. Assim, o governo pode mudar de ideia (ou de aliados) sem ser questionado. Para reforçar a filosofia, foi instituído um novo idioma, a novilíngua, que funde certos conceitos e elimina outros.

8) O INIMIGO
Goldstein
supostamente deixou o Partido por não concordar com as opiniões do Grande Irmão. Desertou e está escondido em outras nações, planejando maneiras de derrubar o governo, como um terrorista. Por causa dele, foram criados os “dois minutos de ódio”, que consistem em ir até a teletela mais próxima e atacar a imagem do traidor com palavrões, vaias e objetos.

 

 

 

 

 (Adriel Contieri/Mundo Estranho)

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

Autor Aldous Huxley (1894-1963)
Publicação 1932
Sinopse O Estado científico-totalitário zela por todos. Nascidos de proveta, os seres humanos vivem sem questionar ordens. Mas Bernard Marx, um membro das castas mais altas, sente que algo está errado.

1) BEBÊS FABRICADOS
Todos os bebês são gerados em laboratórios que mais parecem fábricas. O Centro de Incubação e Condicionamento é responsável não só por gerar as crianças mas também por condicioná-las à sua futura casta. É um dos elementos mais visionários do livro, já que a primeira fertilização in vitro só ocorreu mais de 40 anos depois de sua publicação, no fim dos anos 1970.

2) DIVISÃO SOCIAL
A sociedade é separada em castas. As superiores cuidam da produção intelectual e as inferiores ficam com o trabalho braçal e exaustivo. A casta determina até mesmo o corpo da pessoa: quando um bebê é designado como Ípsilon, um grupo inferior, ele recebe menos nutrientes e oxigênio durante a encubação, para nascer menos inteligente e capacitado. As divisões possíveis são:
– Alfas: Casta alta, detentora do conhecimento. Veste cinza.
– Betas: Classe alta, com habilidades específicas para certas tarefas. Usa roupas cor de amora.
– Gamas: Casta baixa que integra a mão de obra barata. Sua cor é o verde.
– Deltas: Outra casta baixa operária, caracterizada pelo uniforme cáqui.
– Ípsilons: Casta inferior que também vive de sua força de trabalho. Seus membros estão sempre de preto.

3) ESSE DEUS É UM TEZÃO
O mais próximo de uma divindade que essa sociedade conhece é Henry Ford. Sim, ele mesmo, o empreendedor dos EUA pioneiro no uso de linhas de montagem. Os anos são divididos em Antes de Ford (a.F.) e Depois de Ford (d.F.) Expressões como “Ai, meu Ford!” são muito comuns. E a cruz cristã foi substituída por um “T”, em referência ao Ford Modelo T, veículo de sucesso da montadora.

4) NINGUÉM É DE NINGUÉM
Laços de amizade e vínculos amorosos são repudiados, pois acredita-se que esses tipos de relação causam “sentimentos ruins”, como ciúmes, traições e conflitos. Por outro lado, o sexo é incentivado desde a infância e uma grande quantidade de parceiros pode lhe proporcionar mais status social. Grandes orgias são organizadas regularmente.

5) RIPONGOS
Alguns poucos humanos não entraram no sistema e moram nas chamadas Reservas de Selvagens. Nessas comunidades, as pessoas vivem como nós – com menos tecnologia, reproduzindo-se com sexo, sentindo as dores do envelhecimento e tendo que conviver com a ocasional tristeza sem a ajuda de remédios. Lá, os laços amorosos e de amizade são mais estreitos.

6) VALORES DISTORCIDOS
O lema da sociedade é “Comunidade, identidade, estabilidade”, mas a realidade é bem diferente. Como a coletividade é predominante, existe uma percepção de que ninguém serve para nada individualmente. O consumismo é exacerbado, sempre para fazer a economia girar. Nada é mais importante do que a busca permanente pelo bem-estar, por meio do sexo e da droga soma.

7) DROGA DA FELICIDADE
A tristeza é proibida. Uma das maiores armas contra ela é a soma, uma droga sintética distribuída gratuitamente pelo governo, que proporciona uma constante sensação de bem-estar. É impossível reclamar da vida sem ouvir alguém dizer: “Você já tomou a sua dose de soma de hoje?” A lógica é simples: quem está satisfeito não contesta o ambiente em que vive.

 

 (Adriel Contieri/Mundo Estranho)

FAHRENHEIT 451

Autor Ray Bradbury (1920-2012)
Publicação 1953
Sinopse Um governo totalitário proíbe qualquer livro, com medo de que o conhecimento possa estimular o povo a se rebelar. Toda a informação é transmitida através de aparelhos de TVs instalados em casas ou praças. Guy Montag, o protagonista, passa a questionar o mundo em que vive.

1) NA DITADURA É MELHOR
Diferentemente da maioria das distopias literárias, em Fahrenheit 451 o governo não precisou de muito esforço para impor a censura. Os próprios cidadãos decidiram abrir mão da liberdade em troca de uma sociedade sem conflitos, focada nos prazeres do entretenimento e do consumo. A vontade utópica de viver sem tristeza (mesmo que à base de antidepressivos) foi a ruína da sociedade.

2) ROBÔ-CACHORRO
Os bombeiros contam com a ajuda de sabujos mecânicos, inventados exclusivamente para caçar e matar livres-pensadores. Eles entendem diferentes comandos gestuais.

 (Adriel Contieri/Mundo Estranho)

 

3) BOMBEIRO AO CONTRÁRIO
Como as casas são à prova de combustão, os bombeiros têm outra função: destruir livros. Eles invadem casas onde há suspeita de exemplares escondidos e usam um equipamento especial para incinerá-los no próprio local. Guy Montag, o protagonista, passa a questionar o propósito do seu trabalho após assistir a uma mulher decidir morrer queimada com sua biblioteca.

4) MARATONANDO
A vida das pessoas gira em torno da televisão. Todo o tempo livre é dedicado a ela, que repassa as informações essenciais (junto com o rádio). A tecnologia é avançada: a tela ocupa uma parede inteira e personagens em 3D são capazes de interagir diretamente com o público. Para muitos, o grande sonho é rodear-se de aparelhos, colocando-os nas quatro paredes da sala.

5) A CURIOSIDADE MATA
Após dedicar tantas horas de sua vida a incinerar livros, é normal que os bombeiros fiquem curiosos para saber o que há de tão especial naquelas páginas e por que tanta gente se arrisca por elas. Muitos deles acabam levando um exemplar clandestino para casa. Existe até um protocolo para isso – o bombeiro tem 24 horas para queimar o livro sem enfrentar consequências.

6) O LIVRO SOU EU
Alguns rebeldes se unem em comunidades itinerantes em que cada pessoa é responsável por “se tornar” um livro. Ela deve memorizar cada página da obra para que o conteúdo não se perca caso todos os exemplares sejam destruídos ou para que, num futuro melhor, ela possa “ditá-lo” a um escritor, recriando o livro físico. Essa função é passada de pai para filho.

7) BIBLIOTECA ESCONDIDA
Aqueles que se revoltam contra o controle da informação precisam se virar para esconder seus livros. Muitos criam grandes bibliotecas ilegais, que precisam ser constantemente vigiadas para que as traças e o tempo não destruam o acervo. Mas o governo consegue encontrar esses transgressores facilmente – os próprios vizinhos os denunciam assim que suspeitam de algo.

 

Veja também
  • query_builder
  • query_builder

 

Newsletter Conteúdo exclusivo para você