Clique e assine com até 75% de desconto

Os 10 filósofos mais importantes da história

Da ética de Aristóteles ao super-homem de Nietzsche, conheça os pensadores mais influentes do mundo e as ideias que pregaram

Por Yuri Vasconcelos Atualizado em 3 abr 2020, 17h52 - Publicado em 1 dez 2015, 11h50

filosofos

Da ética de Aristóteles ao super-homem de Nietzsche, conheça alguns dos pensadores mais influentes da história e as ideias que pregaram.

10. FRIEDRICH NIETZSCHE

ORIGEM Röcken, Alemanha

VIDA 1844-1900

PRINCIPAL OBRA Assim Falou Zaratustra

Crítico mordaz da ideia da existência de Deus, Nietzsche era um niilista – pessoa que, em princípio, não vê sentido na existência humana. Ele criou o termo “super-homem” para designar um homem superior, que seja capaz de transformar os valores estabelecidos e elevar a humanidade. Foi muito combatido no seu tempo, mas acabou inspirando diversos movimentos, entre eles o existencialismo, de Jean-Paul Sartre

9. SANTO AGOSTINHO

ORIGEM Tagaste, Argélia

VIDA 354-430

PRINCIPAIS OBRAS As Confissões e A Cidade de Deus

Figura central dos primeiros anos do cristianismo, o teólogo Santo Agostinho refletiu sobre a liberdade humana, o tempo e a eternidade. Ele defendia os conceitos de “predestinação” (a vida de todos seria previamente traçada por Deus) e de “graça divina” (a salvação não dependeria dos próprios humanos, mas da intervenção de Deus)

8. DAVID HUME

ORIGEM Edimburgo, Escócia

VIDA 1711-1776

PRINCIPAL OBRA Investigação sobre os Princípios da Moral

Teorizava sobre questões epistemológicas – aquelas que tratam da natureza do conhecimento. Toda hipótese que não pudesse ser comprovada, segundo ele, seria inválida. Cético, não acreditava em milagres e dizia ser impossível provar a existência de Deus. Foi um dos maiores expoentes do Iluminismo, movimento surgido na Europa no fim do século 18 que defendia a razão como alicerce da sociedade

7. LUDWIG WITTGENSTEIN

ORIGEM Viena, Áustria

VIDA 1889-1951

PRINCIPAIS OBRAS Investigações Filosóficas e Tratado Lógico-Filosófico

Interessado desde cedo em matemática e lógica, centrou seus estudos na função da linguagem. Para ele, os problemas filosóficos eram fruto de confusões nos modos de se comunicar. “Os limites da minha linguagem significam os limites do mundo”, escreveu. Para compreender o mundo, portanto, há de se analisar a linguagem, disse

6. SÃO TOMÁS DE AQUINO

ORIGEM Roccasecca, Itália

VIDA 1225-1274

PRINCIPAL OBRA Suma Teológica

Considerado o maior teólogo da Igreja Católica, foi profundamente influenciado por Aristóteles, que, ironicamente, fora acusado de ateísmo. Em sua obra, investiga uma série de questões que não se limitam ao período medieval, época em que viveu. Ele refletiu sobre ética e metafísica e contribuiu para dar novo significado às noções de causa e ser, sobretudo para justificar como a realidade é constituída

Continua após a publicidade

filosofos2

5. GEORG HEGEL

ORIGEM Sttutgart, Alemanha

VIDA 1770-1831

PRINCIPAL OBRA A Fenomenologia do Espírito

Um dos expoentes do idealismo alemão, estabeleceu um sistema que resultou em outro significado para as noções de liberdade e história. Utilizou o método dialético (focado na contraposição de ideias) para explicar aquilo que constitui o mundo real. Influenciou outro filósofo alemão, Karl Marx (1818-1883), criador do materialismo histórico

4. RENÉ DESCARTES

ORIGEM La Haye (hoje Descartes), França

VIDA 1596-1650

PRINCIPAL OBRA Discurso do Método

Autor da máxima “Penso, logo existo”, defendia que o melhor caminho para adquirir conhecimento era o raciocínio matemático. Segundo ele, a fim de descobrir algo “firme e constante nas ciências”, era necessário estabelecer princípios sobre os quais não houvesse dúvidas. Por isso, o filósofo precisava, antes de tudo, ser um cético. Matemático brilhante, é considerado o fundador da filosofia moderna

3. PLATÃO

ORIGEM Atenas, Grécia

VIDA 427-347 a.C.

PRINCIPAIS OBRAS Apologia e República

Teve grande influência na teologia cristã e na filosofia ocidental. Para ele, o homem vivia preso num mundo de sombras, sem conseguir ver a realidade. Foi o primeiro filósofo a produzir uma obra substancial que sobreviveu ao tempo. A Academia fundada por ele – e considerada a primeira instituição de ensino superior do Ocidente – sobreviveu por mais de 800 anos

2. IMMANUEL KANT

ORIGEM Königsberg, Prússia (hoje Kaliningrado, Rússia)

VIDA 1724-1804

PRINCIPAL OBRA Crítica da Razão Pura

Um dos mais influentes filósofos europeus desde os gregos antigos, Kant notabilizou-se por investigar as condições de possibilidade do conhecimento e por analisar o modo como podemos agir tendo em vista um princípio universal que não cause danos para as outras pessoas. Sua filosofia passou a ser denominada como “filosofia crítica”, pois preocupou-se em examinar os limites do homem

1. ARISTÓTELES

ORIGEM Estagira, Grécia

VIDA 384-322 a.C.

PRINCIPAL OBRA Ética a Nicômaco

Considerado por muitos o fundador da ética, Aristóteles defendeu que os sentidos devem ser o ponto de partida da filosofia. A busca pelo conhecimento, segundo ele, é mais eficaz quando recorremos à observação e podemos fazer experimentações. Ele criou uma escola (o Liceu) e influenciou com suas ideias vários campos do saber (física, política, meteorologia, lógica etc.). No fim da vida, acusado de ser ateu, fugiu de Atenas para não ter o mesmo destino de Sócrates (469-399 a.C.), obrigado a matar-se tomando veneno

  •  Aristóteles acreditava que tudo era formado por terra, ar, fogo e água e que haveria uma quinta essência, espécie de força oculta presente em tudo – uma das ideias centrais da alquimia

CONSULTORIA Agnaldo Portugal, chefe do Departamento de Filosofia da UnB, Auri Cunha, professor de Filosofia da Escola Vera Cruz, de São Paulo, Edgar Lyra Netto, coordenador do curso de graduação em filosofia da PUC-RJ, Márcio Custódio, coordenador associado do curso de graduação em filosofia da Unicamp, Marcos Zingano, professor do Departamento de Filosofia da USP, Matheus Pazos, professor do Departamento de Filosofia da Unicamp, Sofia Stein, coordenadora do curso de filosofia da Unisinos, e Virgínia de Araújo Figueiredo, membro do colegiado do curso de graduação em filosofia da UFMG

Continua após a publicidade
Publicidade