Clique e assine a partir de 5,90/mês

Para que serve o hímen?

Existem quatro tipos de hímen e um deles pode até exigir o uso de cirurgia para abrir passagem para o fluxo menstrual e as relações sexuais

Por Sheyla Miranda - Atualizado em 14 fev 2020, 17h47 - Publicado em 22 jun 2011, 20h18

Biologicamente, para nada. Pode até ser que essa película, presente na entrada do canal vaginal, ajude a prevenir infecções genitais em crianças, mas nada cientificamente comprovado. O hímen surge no início do desenvolvimento do embrião feminino, formado do resquício da tampa vaginal – quando o órgão genital ainda não tem abertura externa. Apesar de ser usado para indicar virgindade, ele nem sempre é rompido com a relação sexual. Absorvente interno, andar de bicicleta, masturbação e outros motivos também podem perfurá-lo. Além disso, somente algumas mulheres apresentam sangramento quando o hímen se rompe, já que isso depende da quantidade de vasos sanguíneos que irrigam a membrana, o que varia de pessoa para pessoa.

Os tipos de hímen e suas características

ANULAR – É o mais comum. Tem uma membrana fina, com apenas um orifício no meio, geralmente rompido na primeira relação sexual. Pode ou não causar sangramento

COMPLACENTE – Película grossa e muito elástica, com um orifício no centro. Dificilmente se rompe em relações sexuais e só deixa de existir quando a mulher tem filhos por parto normal

CRIBRIFORME – Poucas mulheres apresentam este tipo de hímen. Em vez de apenas um orifício ao centro, ele tem vários furinhos pelos quais passa o fluxo menstrual

IMPERFURADO – Muito raro. Não há orifícios e as meninas que têm este tipo de hímen precisam fazer uma cirurgia para abrir passagem para o fluxo menstrual e para as relações sexuais. A cirurgia do hímen imperfurado é feita logo após a menarca – primeira menstruação

CONSULTORIA Aarão Mendes Pinto Neto, do departamento de tocoginecologia da Unicamp

Continua após a publicidade
Publicidade