Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Por que a aranha viúva-negra mata o macho após o acasalamento?

Por Mariana Nadai
Atualizado em 22 fev 2024, 10h49 - Publicado em 3 ago 2011, 17h53
Adult_Female_Black_Widow

Na real, o macho morre acidentalmente. É que ao terminar de depositar os espermatozoides na genitália da fêmea, ele faz uma retirada brusca e quebra seu aparelho reprodutor (bulbo). “Não é sempre que ele perde o bulbo, mas, quando isso acontece, morre por perda de um fluido vital: a hemolinfa. É como se a aranha morresse de hemorragia”, explica Paulo Goldoni, especialista em artrópodes do Instituto Butantan.

Apesar de não matar o parceiro, a reputação de assassina da viúva-negra (Latrodectus mactans) vem do fato de ela se alimentar dele após o acasalamento. A fêmea não faz por mal, apenas se aproveita do cadáver do amante para repor a energia gasta na cópula.

MORRENDO DE PRAZER

Apesar da fama, a viúva-negra não é culpada pela morte de seu parceiro sexual

1. O ritual de acasalamento começa com o macho marcando presença. Ele chega de mansinho e, com uma das patas, balança a teia. O gesto provoca uma vibração, que chama a atenção da fêmea

2. Para aumentar o interesse da viúva-negra, ele joga teia nas patas dela. Os mais exibidos cortam pedaços da teia e a refazem em seguida. O ritual pode durar até que a fêmea se entregue totalmente

Continua após a publicidade

3. Quando aceita a presença do parceiro, a viúva-negra permite que ele suba nela. Eles ficam de frente um para o outro, com ele olhando para o abdômen dela. É que o bulbo copulador fica na cabeça do macho, e o epígeno (a genitália feminina), na parte baixa do abdômen

4. O bulbo espiralado é introduzido na genitália feminina para espalhar espermatozoides. Logo após a fecundação, a fêmea põe os ovos dentro de sacos de seda construídos por ela. “Uma viúva-negra pode ter até 40 filhotes de uma vez”, revela Goldoni

5. Se for retirado bruscamente, o bulbo quebra. Quando isso acontece, o macho perde muita hemolinfa, líquido azul com função semelhante ao sangue dos mamíferos. Não se sabe se isso ocorre por descuido ou pela intenção de bloquear o acesso de rivais à genitália da fêmea

Continua após a publicidade

6. A morte é tão rápida que nem dá tempo de escapar da teia. Ao perceber um animal morto em casa, a fêmea aproveita o alimento fácil e traça sem dó para repor a energia gasta na transa. Embora existam aranhas canibais – não é o caso da viúva-negra –, elas geralmente comem outras espécies

DOMINADORA

A fêmea da viúva-negra é cerca de três vezes maior que o macho. Um sinal em forma de ampulheta na barriga é marca registrada da viúva-negra e de outras espécies como a viúva-amarela e a flamenguinha

Continua após a publicidade

JANTAR EM FAMÍLIA

A aranha-caranguejeira, sim, merece a fama de assassina. Em alguns casos, após a cópula, a fêmea enrola o amante na teia e guarda os restos mortais dele para servir como primeira refeição aos filhotes, cerca de 60 dias após o acasalamento

USOU, PERDEU

Cada tipo de abelha tem uma função. A rainha vive para botar ovos, as operárias produzem mel e os zangões fecundam as rainhas – mas a vida deles não é mole. Depois da transa, o órgão genital fica preso na abelha-rainha e se rompe, levando o zangão à morte

PERDENDO A CABEÇA

Depois de transar, o louva-a-deus fêmea agarra o parceiro e o devora vivo, começando pela cabeça, na maioria das vezes. A refeição garante energia para que ela construa ootecas (lugar em que deposita os ovos) mais resistentes e com capacidade para mais ovos

Continua após a publicidade

APETITE SEXUAL

No jogo de sedução da aranha-de-costas-vermelhas (Latrodectushasselti), vale tudo. Para transar, o macho posiciona o abdômen perto da boca da parceira, deixando que ela o coma durante o ato sexual. Esse sacrifício ocorre em 65% dos acasalamentos da espécie

CONSULTORIA Paulo Goldoni e Vanessa Penna Gonçalves, pesquisadores do Instituto Butantan

Continua após a publicidade

FONTE Sexual Cannibalism in the Brown Widow Spider, de Michal Segoli, Ruthie Arieli, Petra Sierwald, Ally R. Harari e Yael Lubin

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.