Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Por que existem facas de cozinha de formatos diferentes?

Por Nathália Pinheiro
Atualizado em 22 fev 2024, 10h49 - Publicado em 27 set 2011, 19h57
Cucina_012

Há diferentes necessidades na hora de cortar alimentos. As primeiras facas surgiram no tempo das cavernas, ainda feitas de pedra. Na época, além de cortar roupas e carne de animais, também serviam como arma para caçar. Por volta de 700 a.C., começaram a ser fabricadas com ferro, tornando-se mais cortantes e duráveis. Já no século 16, os franceses aprimoraram o corte das facas, que passaram a ser usadas com os garfos na mesa. Hoje, são mais de 15 tipos, feitos de aço inoxidável e em vários formatos – cada umcom uma especialidade. Sua fabricação se tornou até uma arte: a cutelaria.

CORTE FRÁGIL

As facas de cerâmica, originais da Ásia, são mais leves e resistentes – duram oito vezes mais que uma faca de aço, mas qualquer queda é fatal

Continua após a publicidade

CORTANDO TUDO

As facas e suas especialidades

CUTELO

Serve para partir ossos. Tem um corte rústico e sua afiação é feita a 45º (as outras são afiadas a 20º)

FACA DO CHEF

Com cabo longo, é usada para cortar carnes, descascar legumes e picar temperos

Continua após a publicidade

FACA DE DESOSSAR

A lâmina estreita ajuda a penetrar no animal e cortar as cartilagens, separando a carne do osso

FACA SERRILHADA

Corta alimentos de casca grossa e polpa macia, como pães. A serra quebra a casca sem parti-la

FACA DE LEGUMES

São mais leves e compridas, ideal para cortes que exigem agilidade, como picar legumes

Continua após a publicidade

FACA COM ALVÉOLOS

Ideal para fatiar frios (queijo, presunto ou mortadela), já que ajuda a reter o ar e a umidade

DEBA HOCHO

A faca japonesa possui uma lâmina longa e serve para filetar peixes e fazer o tradicional sashimi

A afiação de facas é feita em uma pedra porosa especial e em apenas uma direção, nunca em círculos. O aço inoxidável é o mais utilizado por evitar a ferrugem e não propagar bactérias.

FONTES Breno Guelssi, professor de gastronomia do Senac – Campos do Jordão; Flávio Duprat, cuteleiro; Gustavo Hengel, colecionador de facas; João Batista, cuteleiro e Maurício Lopes, chef e professor de gastronomia da Universidade Anhembi Morumbi

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.