Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Por que não é possível contrair Aids por meio de um mosquito que tenha picado uma pessoa infectada?

O vírus HIV se mantém no sangue em uma concentração mínima – ao contrário de doenças como a dengue, que apresentam a chamada fase virêmica (quadro clínico com alta concentração de vírus no sangue). Por isso, a quantidade que o mosquito suga de uma pessoa seria pequena demais para contaminar outra. Além disso, ao picarem, […]

Por Redação Mundo Estranho
Atualizado em 22 fev 2024, 10h55 - Publicado em 18 abr 2011, 18h58

O vírus HIV se mantém no sangue em uma concentração mínima – ao contrário de doenças como a dengue, que apresentam a chamada fase virêmica (quadro clínico com alta concentração de vírus no sangue). Por isso, a quantidade que o mosquito suga de uma pessoa seria pequena demais para contaminar outra. Além disso, ao picarem, os insetos sugam o sangue para si e não o contrário. Assim, nunca injetam numa nova vítima o sangue de alguém picado anteriormente. Outro fator importante é que o vírus HIV não consegue se reproduzir dentro dos insetos, como fazem certos protozoários. “No caso da dengue ou da febre amarela, o vírus contamina também as células do mosquito, fazendo com que seu organismo carregue a doença. Ao sugar o sangue, ele injeta saliva, que também está contaminada. Isso não ocorre com o HIV”, afirma o biólogo Delsio Natal, da USP.

Restaria uma última possibilidade de contaminação, pela presença de sangue na probóscide (aparelho bucal do inseto). “Mas não se considera tal hipótese porque essa quantidade de sangue seria microscópica e o vírus morreria rapidamente em contato com o ar”, diz Delsio.

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.