Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Por que podemos comer carne de rã, mas não de sapo?

Porque sapos possuem glândulas de veneno e rãs não. Como essas glândulas ficam na pele, seria difícil retirá-las sem espalhar veneno para a carne

Por Julia Moióli
Atualizado em 22 fev 2024, 10h36 - Publicado em 3 set 2015, 15h42

Porque sapos possuem glândulas de veneno e rãs não. Como essas glândulas ficam na pele, seria difícil retirá-las sem espalhar veneno para a carne. Mas não que seja uma grande lástima: a maior parte da carne consumida das rãs vem de suas patas posteriores, e os sapos têm pouca nesse lugar. O motivo é que as rãs se movimentam saltando e, por isso, têm a musculatura das patas bem desenvolvida, enquanto os sapos só dão saltos pequenos e têm pernas curtas. Com gosto semelhante ao frango, a carne de rã tem pouca gordura, bastante proteína e mais cálcio que o leite. O único problema é o preço, que costuma ser salgado. Mas vale lembrar que, no Brasil, é crime caçar esses animais nativos e só está liberado o consumo das rãs criadas em ranários.

Quem é quem

Sapos, rãs e pererecas são de famílias diferentes na ordem Anura

1) Rãs

Família:Ranidae

Pele: Lisa, úmida e, em sua maioria, não venenosa

Movimentação: Além de nadarem, dão longos saltos graças às pernas compridas

Continua após a publicidade

Onde vivem: Na terra, próximas à água

2) Pererecas

Família: Hylidae

Continua após a publicidade

Pele: Lisa

Movimentação: Escalam superfícies e são capazes de dar saltos longos

Onde vivem: Em árvores

Continua após a publicidade

3) Sapos

Família: Bufonidae

Pele: Espessa e rugosa, com glândulas de veneno

Continua após a publicidade

Movimentação: Apenas saltos curtos, pois as pernas são pouco desenvolvidas

Onde vivem: Na terra

Há espécies de pererecas, sapos e rãs também em outras famílias de anuros

Continua após a publicidade

Pergunta Marcos, Montes Claros, MG

Consultoria André Muniz Afonso, professor da Universidade Federal do Paraná, Célio Haddad, zoólogo do Instituto de Biociências da Unesp, Claudia Maris Ferreira Mostério, pesquisadora científica do Instituto de Pesca da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Governo do Estado de São Paulo

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.