Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Quais são as piores torturas psicológicas?

Nem sempre o sofrimento precisa ser físico: a mera tensão já força prisioneiros a confessarem

Por Tiago Cordeiro
Atualizado em 22 fev 2024, 10h34 - Publicado em 20 out 2015, 17h40

ILUSTRAS Abacrombie Ink

Ligadão 24 horas

A dor dos outros

Deixar o preso em celas próximas ao local de tortura pode devastar sua coragem. Se ele ouve gritos de sofrimento de colegas antes de sua própria sessão, já está a meio caminho de se render. Alguns carrascos vão ainda mais longe e fazem ameaças a parentes ou amigos do torturado

USADA EM Mundo todo

Ligadão 24 horas

Se o objetivo é inutilizar a mente da vítima, poucas estratégias são mais eficientes do que a privação do sono. Para fazê-la perder a noção do tempo, são utilizadas celas brancas (as “geladeiras”), com sons altos e grandes variações de temperatura. “Espancamentos-surpresa” toda vez que tentar um cochilo também ajudam a intensificar o terror. Bastam cinco dias para vencer as resistências do preso

Continua após a publicidade

USADA EM Mundo todo

Inimigo íntimo

Em depoimento à Comissão da Verdade, a cineasta brasileira Lucia Murat relatou que seu captor desenvolveu uma técnica de “tortura sexual científica”. Primeiro, ela era amarrada de forma a sentir a corda enforcá-la sempre que resistia ou se debatia. Aí, era obrigada a aceitar passivamente abusos sexuais. Grávidas são um alvo preferencial, principalmente quando presas com o marido

USADA EM Mundo todo

Fruto proibido

Continua após a publicidade

Fruto proibido

O formato rendeu a esse aparelho o nome de pera. Mas, quando suas quatro “pétalas” eram abertas graças a um intricado sistema de engrenagens, ela mais parecia uma flor. Inserida na boca, na vagina ou no ânus, ela podia ser expandida lentamente pelo algoz, causando terríveis lacerações. Mas funcionava muito mais como mera ameaça

Usada em – Europa Medieval

Selvageria pura

SELVAGERIA PURA

Animais são imprevisíveis, não têm empatia e exploram fobias profundas

Continua após a publicidade

Baratas e ratos: Colocados para passear sobre o rosto da vítima ou até inseridos na boca, nos ouvidos, no estômago ou no ânus

Cães de guarda: Os mais violentos, atiçados contra a vítima, são capazes de provocar mordidas feias, com ferimentos fáceis de infeccionar

Cobras e jacarés: Favoritos da Ditadura no Brasil. São extremamente agressivos, mas podem se mover lentamente, estendendo a tensão por vários minutos

Absolutamente inaceitável

Não há circunstância que justifique a tortura. E pesquisas provam que ela não gera dados confiáveis

Como se não bastasse ser desumana, cruel e indefensável, a tortura também não é uma forma eficiente de obter informações. Uma série de levantamentos estatísticos, com base na qualidade de confissões fornecidas sob coerção em países tão diferentes quanto os EUA e o Irã, já chegou a essa conclusão. Sob violência, a pessoa pode fazer falsas revelações, achando que vai ganhar tempo ou piedade. Mesmo quando contam algo concreto, pode ser inútil: os torturadores são meros especialistas em agressão, muitas vezes incapazes de reter (ou interpretar) dados complexos

ESSA MATÉRIA FAZ PARTE REPORTAGEM DE CAPAAS PIORES TORTURAS DA HISTÓRIA.CONFIRA AS OUTRAS:

Quais são as piores torturas com cordas e barras?

Continua após a publicidade

Quais são as piores torturas com caixas e jaulas?

Quais são as piores torturas com fogo e água?

Quais são as piores torturas com facas e lâminas?

Como era uma sessão de tortura na Cadeira do Dragão?

Continua após a publicidade

 

FONTES Livros The History of Torture and Execution, de Jean Kellaway, The History of Torture Throughout the Ages, de George Ryley Scott, e Tortura: A História da Repressão Política no Brasil, de Antonio Carlos Fon; sites Arquivos da Ditaduracnv.gov.br ohchr.org

CONSULTORIA John Schiemann, professor de ciências políticas da Fairleigh Dickinson University e autor de Interrogational Torture: Or How Good Guys Get Bad Information with Ugly Methods, Alfred W. McCoy, professor de história da Universidade de Wisconsin e autor de A Question of Torture: CIA Interrogation, from the Cold War to the War on Terror, e Darius Rejali, professor de ciências políticas do Reed College e autor de Torture and Democracy

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.