GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quais são os carros mais caros do mundo?

Não é aquele esportivo irado dos seus sonhos, seja ele qual for. O mais valioso é esse modelo clássico que você vê na imagem maior destas páginas. Estamos falando do Bugatti Type 41, um carro da década de 20 vendido em um leilão em 1990 pela bagatela de 15 milhões de dólares. Mas por que pagar tanto num veículo tão antigo? “Para os apreciadores de carros clássicos, cada detalhe do Bugatti é especial: tudo é único, feito a mão”, diz o advogado José Aurélio Afonso Filho, presidente da Federação Brasileira de Veículos Antigos, no Rio de Janeiro. Nem a Ferrari mais incrementada consegue superar o preço dos legendários carros das primeiras décadas do século 20. Aliás, se o valor de venda fosse o único critério para esta reportagem, nosso ranking só teria clássicos do passado, pois dez dos dez automóveis mais caros já vendidos no mundo são peças de colecionador. Entretanto, para turbinar a resposta à pergunta, resolvemos apresentar também os ganhadores em outras categorias: o brasileiro mais caro, o automóvel de série mais valioso e o carro de competição com preço mais elevado. Na lista dos antigões de luxo, figuram lendas automobilísticas como algumas Ferrari da década de 60 e dois outros Bugatti de 1931, o Royale Kelner e o Royale Berline. Todos eles estão cotados acima da casa dos 5 milhões de dólares. Mas nem só de passado vive o milionário mundo dos automóveis. Os carros usados nas competições de Fórmula 1, por exemplo, custam os olhos da cara. Só não se sabe exatamente quanto, já que as escuderias não divulgam o valor total. Mas, pelo preço de algumas partes dos bólidos (um pneu que dura apenas algumas voltas sai por 3 mil dólares!), dá para ter uma idéia da montanha de grana envolvida na brincadeira.

Escolha seu sonho
Carango de 15 milhões de dólares lidera o ranking

BRASILEIRO MAIS CARO

XTERRA SE 4X4 (2004)

PREÇO: 110 mil reais (36,7 mil dólares)*

O automóvel mais caro produzido totalmente no Brasil é um jipão 4×4 de quase 2 toneladas (1 935 quilos), fabricado pela Nissan, no Paraná. Apesar de ser usado geralmente como off-road em trilhas e estradas de terra esburacadas, o Xterra tem direção hidráulica, ar-condicionado e vidros elétricos de série, luxos indispensáveis para um carro do seu preço. Os mais abonados podem incrementar a máquina com airbags, bússolas e termômetros eletrônicos.

MAIS CARO PRODUZIDO COMERCIALMENTE

FERRARI ENZO (2002)

PREÇO: 750 mil dólares

O veículo mais caro fabricado em linha leva o nome do patriarca da mais veloz família italiana. Inspirada nos bólidos da Fórmula 1, a Ferrari Enzo é toda aerodinâmica e herdou a vocação para a velocidade, chegando a 350 km/h. Em 2002, o comprador tinha que pagar 750 mil dólares para se sentar nos bancos de couro vermelho. No ano seguinte, o preço caiu para 670 mil dólares. Já cabe no orçamento? Então corra para pegar seu carro, porque a Ferrari pôs à venda apenas 399 unidades.

O MAIS CARO DE TODOS OS TEMPOS

BUGATTI TYPE 41 ROYALE (1927)

PREÇO: 15 milhões de dólares

Produzido na década de 20 pelo artesão italiano Ettore Bugatti, o carro mais precioso do mundo tem impressionantes 6,7 metros de comprimento e 4,3 de largura. Ele atinge apenas 145 km/h, mas sua grande riqueza é o perfeccionismo nos detalhes: do forro dos bancos ao formato da carroceria, quase tudo foi feito à mão. Não é à toa que Bugatti ficou aperfeiçoando sua obra-prima por mais de 20 anos. Ao todo, foram produzidas apenas seis unidades desse modelo.

CARRO DE COMPETIÇÃO MAIS CARO

F1 FERRARI (2004)

PREÇO: 2 milhões de dólares (estimativa)

Como as equipes não divulgam os preços de seus bólidos, Mundo Estranho fez uma pesquisa com jornalistas especializados em automobilismo. Tirando a média dos palpites, chegamos a um custo de pelo menos 2 milhões de dólares para o carro que provavelmente é o mais valioso: a Ferrari do campeão Michael Schumacher. “O motor é o componente mais caro e custa uns 350 mil dólares. Mas o gasto com projetos pesa no preço final”, diz o jornalista Flávio Gomes, da agência Warm Up.