Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Qual é o mais longo solo de guitarra gravado?

Nada menos que 17 minutos e 15 segundos é a duração do solo do inglês Jimmy Page, líder e guitarrista do Led Zeppelin, na faixa “Dazed and Confused”, do álbum ao vivo The Song Remains The Same (1976). Desde os primeiros shows da banda, no final dos anos 60, a canção já servia de base […]

Por José Augusto Lemos Atualizado em 4 jul 2018, 20h15 - Publicado em 18 abr 2011, 18h51

Nada menos que 17 minutos e 15 segundos é a duração do solo do inglês Jimmy Page, líder e guitarrista do Led Zeppelin, na faixa “Dazed and Confused”, do álbum ao vivo The Song Remains The Same (1976). Desde os primeiros shows da banda, no final dos anos 60, a canção já servia de base para Page alçar vôo com o instrumento, tocando parte do solo com um arco de violino, uma de suas marcas-registradas. Numa noite inspirada, o solo de “Dazed and Confused” ultrapassava facilmente um quarto de hora – e, até onde pudemos apurar, essa gravação, realizada em julho de 1973 no Madison Square Garden, em Nova York, supera qualquer candidato ao título. A categoria não consta no Guinness, o “livro dos recordes”, e pelo visto nunca foi pesquisada a sério. A única referência parecida em toda a internet foi encontrada no grupo de discussão da http://www.guitarists.net, comunidade virtual formada por fanáticos pelo instrumento.

O grupo cita como recorde não-gravado um solo do americano Jerry Garcia, da banda Grateful Dead, em abril de 1976, no Texas, que teria durado 37 horas, 19 minutos e 44 segundos! A informação não é confirmada em nenhum outro lugar e só pode ser gozação em cima da fama que o grupo, um dos baluartes do rock psicodélico, tinha de fazer shows intermináveis, com improvisações idem. Garcia, ao que tudo indica, deve ficar com a medalha de prata entre os solos efetivamente gravados pelos 13 minutos e 22 segundos de guitarra na faixa “Dark Star”, do álbum ao vivo Live Dead (1969). Na falta de fontes de pesquisa, Volume Máximo reuniu uma força-tarefa de conhecedores para relembrar (e cronometrar!) solos de guitarra homéricos – por isso, vai aqui um agradecimento especial a Fernando Reginatto, da loja Coreto Musical (Campinas, SP), que identificou a vitória de Page.

* Jornalista, ex-diretor de redação da revista Bizz

Publicidade