Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Quanto tempo um espermatozóide sobrevive dentro do corpo da mulher?

Vida de espermatozoide não é mole.

Por Marina Motomura Atualizado em 28 out 2020, 08h16 - Publicado em 18 abr 2011, 18h47

Os espermatozoides mais poderosos sobrevivem até cinco dias, mas a média de sobrevivência é de 48 a 72 horas depois da ejaculação. Essa sobrevida significa que dá, sim, para uma garota engravidar mesmo fora do período fértil (por mais raro que isso seja). Se ela transar dois ou três dias antes da ovulação, pode rolar a fecundação.

“Os espermatozoides que sobrevivem por mais tempo são os que carregam cromossomos X – se eles fecundarem um óvulo, dão origem a uma menina. Eles são mais lentos e economizam energia. Já os espermatozóides Y – que dão origem a meninos – são mais rapidinhos, gastam muita energia e vivem menos”, diz Carolina Carvalho, ginecologista da Unifesp.

A vida dos espermatozoides não é mole: em 48 horas, eles assistem à morte de milhões de colegas – dos cerca de 300 milhões de espermatozóides expelidos a cada ejaculação, apenas 500 chegam às trompas, os canais que ligam o útero aos ovários e onde acontece a união do espermatozoide com o óvulo. Para piorar, eles enfrentam pelo caminho o muco expelido pela vagina, que tem uma textura que dificulta o deslocamento.

No período fértil das mulheres, a situação melhora um pouquinho: o muco fica menos espesso, facilitando a “natação” dos espermatozóides. Sabe como os “bichinhos” sobrevivem durante esse tempo? Simples: eles se alimentam de frutose, açúcar que é expelido no sêmen (o mesmo tipo presente nas frutas).

espermatozoide

Quando os espermatozóides morrem, eles passam das trompas para a cavidade abdominal, onde se alojam todos os órgãos da região da barriga. Lá, eles são absorvidos pelo corpo da mulher e caem na corrente sanguínea. Esse processo, claro, não faz mal nenhum à mulher.

Continua após a publicidade
Publicidade