GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Que células do corpo humano morrem por último quando falecemos?

Como o corpo humano é movido a oxigênio, as últimas células a morrer são as que menos precisam de oxigênio: as epiteliais da córnea. A menor dependência de oxigênio tem duas explicações. Primeiro: as células da córnea quase não são irrigadas por vasos sanguíneos e são eles os responsáveis por levar o oxigênio a todas as células do corpo. Além disso, as células da córnea estão em contato direto com o ar atmosférico, o que facilita a oxigenação delas. Graças a essa capacidade de remediar a morte, as córneas de uma pessoa morta podem ser retiradas até seis horas depois do falecimento e ser transplantadas com sucesso. Por outro lado, os neurônios podem morrer antes mesmo do seu dono. Eles necessitam de tanto oxigênio que, se uma pessoa ficar apenas alguns minutos sem respirar, já pode ficar com danos irreparáveis no cérebro e perder funções como a fala ou os movimentos.

Recordes celulares
Os neurônios são, ao mesmo tempo, as células mais longas e mais curtas do nosso corpo

MAIS CURTA E MAIS LONGA

O neurônio detém os dois recordes. Graças ao axônio – prolongamento da membrana celular que conduz os impulsos elétricos -, um neurônio pode ter mais de 1 metro, ligando, por exemplo, a coluna à ponta do pé, ou até 2 micrômetros (1 metro dividido por 1 milhão)

MAIS ABUNDANTE

O maior órgão do corpo humano é a pele (sim, a pele é um órgão) e, exatamente por isso, as células que temos em maior quantidade são as epiteliais. Além de recobrir todo o corpo, envolvem todos os outros órgãos

MAIS ESTRANHA

Toda célula possui membrana, citoplasma e núcleo. Mas uma contraria essa regra: a célula muscular, que tem vários núcleos. Além disso, tem o citoplasma repleto de filamentos que se contraem e dão à ela uma aparência fibrosa, bem diferente de qualquer outra

MAIS RENOVÁVEIS

Não, não são as hemácias. O recorde de renovação é das células epiteliais do estômago e intestino. Além de serem usadas exaustivamente, elas sofrem a ação de substâncias agressivas, como os ácidos, e precisam ser substituídas a cada três dias

MAIOR CÉLULA

O óvulo é a maior célula do corpo humano porque, além de carregar o material genético da mãe, também precisa ter nutrientes o suficiente para alimentar as primeiras células que surgem após a fecundação, antes de o óvulo se fixar no útero

MENOR CÉLULA

Como o único papel do espermatozóide é encontrar o óvulo para transmitir o DNA do pai, ele só precisa ser ágil e nada mais. Seu tamanho é apenas o necessário para carregar o material genético masculino até o óvulo