Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Quem definiu os sete pecados capitais?

Três figuras ligadas à Igreja Católica ajudaram a criar a lista - que, originalmente, tinha oito pecados. Mas foi um escritor quem a popularizou

Por Tiago Cordeiro Atualizado em 4 jul 2018, 20h19 - Publicado em 9 mar 2018, 18h04
Pedro D'Apremont/Mundo Estranho

Pergunta Jessyca Daiane da Silva, Rio de Janeiro, RJ

A Igreja Católica. A lista final, apresentada no século 13, é a versão aprimorada de uma primeira versão, do século 4. Todo esse esforço em descrever defeitos de conduta tinha um motivo: facilitar o cumprimento dos Dez Mandamentos. Em vez de focar nos erros que afastavam as pessoas de Deus, proibiam-se os vícios de comportamento que os causavam. Se você não sentisse ira, por exemplo, não mataria. Sem luxúria, não cobiçaria a mulher do próximo. Sem soberba, continuaria a amar Deus sobre todas as coisas.

Quatro figuras ajudaram a estabelecer e divulgar a lista. Mas uma delas não era membro da Igreja:

EVAGRIUS PONTICUS
Século 4
Em 375, este monge grego (345-399) listou as oito atitudes mais graves que os cristãos poderiam cometer: gula, avareza, luxúria, ira, melancolia, preguiça, orgulho e vanglória. Sua inspiração eram mais os pensadores gregos e romanos do que o Antigo Testamento.

PAPA GREGÓRIO 1º
Século 5
Transformou o texto avulso numa recomendação oficial da Igreja, em 590. Baseou-se no trabalho de Ponticus, mas com algumas alterações. Os pecados foram reduzidos a sete, com a fusão da melancolia e da preguiça em “indolência”.

SÃO TOMÁS DE AQUINO
Século 13
O frei e teólogo italiano (1225-1274) propôs uma revisão da lista, rapidamente aceita pelas lideranças da Igreja. Foi aí que se consolidaram os tópicos como os conhecemos até hoje: soberba, avareza, luxúria, ira, gula, inveja e preguiça.

Continua após a publicidade

DANTE ALIGHIERI
Século 13
O escritor, que viveu entre 1265 e 1321, não estava ligado formalmente à Igreja. Mas foi quem de fato popularizou o conceito. Em sua obra-prima, A Divina Comédia, descreveu os diferentes círculos do Inferno e os associou a cada um dos sete pecados capitais.

 

 

O lado do bem

Cada pecado também tem uma virtude oposta a ele

 Soberba – Humildade
Avareza – Generosidade
Luxúria – Castidade
Ira – Paciência
Gula – Temperança
Inveja – Caridade
Preguiça – Diligência

FONTES Livros da Coleção Pecados Capitais, diversos autores; série de TV Sete Pecados Capitais, do History Channel

Continua após a publicidade

Publicidade
Mundo Estranho
Quem definiu os sete pecados capitais?
Três figuras ligadas à Igreja Católica ajudaram a criar a lista - que, originalmente, tinha oito pecados. Mas foi um escritor quem a popularizou

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade