Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Realmente faz mal ler após as refeições?

Por Marina Motomura Atualizado em 4 jul 2018, 20h16 - Publicado em 18 abr 2011, 18h52
170948895

Não. Segundo os especialistas, essa é só mais uma crendice popular. “O pior que pode acontecer é uma sensação de sonolência, já que durante a digestão o fluxo sanguíneo se concentra no estômago”, diz o oftalmologista Emílio de Haro Muñoz, da Unifesp. Esse estado de preguiça aparece principalmente após as refeições mais abundantes, como uma suculenta feijoada. “A concentração do sangue faz com que o fluxo no cérebro diminua, mas não causa nenhum prejuízo aos olhos”, afirma Emílio. A duração dessa sensação varia de acordo com a digestão. “Comidas gordurosas digerem mais lentamente que alimentos leves; e mulheres têm digestão mais demorada que homens”, afirma a gastroenterologista Sônia Letícia Lorena, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Se ler após as refeições está liberado, os médicos não recomendam a leitura durante a alimentação – o ideal é se concentrar apenas no ato de comer. Para isso, vale também conversar somente o necessário. “Não devemos falar muito enquanto comemos, para não ingerir muito ar. O gás ingerido causa dor e desconforto”, diz Sônia. Outras lendas relacionadas à leitura pregam que ler com luz fraca ou usar computador por muito tempo estraga a vista. Na verdade, pode acontecer um cansaço visual, mas danos permanentes estão descartados.

Publicidade