GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

As comidas que criam os puns mais mortíferos, segundo a ciência

Cientistas descobriram os alimentos que cortam o fedor — e os que pioram a situação

O assunto pode até não cheirar muito bem, mas um grupo de cientistas da Universidade de Monash, na Austrália, publicou um estudo sobre peidos. A pesquisa acaba com uma série de lendas sobre a origem dos puns fedidos, e traz algumas dicas valiosas se você é daqueles que vive com medo de soltar uma bufa matadora no elevador do trabalho. A grande responsável pelo cheiro de morte, segundo o estudo, é a proteína — mas quando ingerida em excesso.

Você deve estar imaginando que, para chegar a esta conclusão, os cientistas comeram vários alimentos diferentes e cheiraram os gases uns dos outros, mas o estudo não foi bem assim. Na verdade, os pesquisadores analisaram a composição do cocô de sete participantes saudáveis — parte deles tinha uma dieta rica em proteínas (ovos, carne, leite) e o resto comia carboidratos (pães, cereais) ou fibras (vegetais, frutas, legumes).

Os cientistas fizeram isso porque já sabiam de antemão que os puns mais fedorentos têm um composto específico: o sulfeto de hidrogênio, que transforma qualquer peido em uma bomba mortífera, daquelas que nem o dono consegue cheirar sem fazer careta. O estudo foi focado em perceber quais dietas estimulavam a produção dessa substância.

Nos cocôs de quem comia mais proteínas, a concentração do composto era sete vezes maior do que aqueles que tinham dietas ricas em carboidratos. E quem ingeria muitas frutas, legumes e vegetais (ou seja, fibras) tinha uma produção de sulfeto de hidrogênio 75% menor do que a turma da proteína. A conclusão é simples: a dieta do “frango com batata doce para ficar monstrão” pode até ajudar a construir músculos para quem frequenta a academia, mas também cria os peidos mais fedorentos que o seu nariz já sentiu. E, claro, sua avó estava certa — vegetais, frutas e legumes fazem bem para o seu intestino.

Não é que as fibras e os carboidratos acabem com o problema — na realidade, esses nutrientes aumentam o número de puns, porque contribuem para a fermentação das bactérias intestinais, cujo produto são gases (é só pensar no quanto você peida quando come feijão, lentilha, vagem…). Só que a maioria dessas flatulências não tem um cheiro tão forte, já que as fibras absorvem a água do intestino, o que dificulta bastante a produção de sulfeto de hidrogênio pelas bactérias. Então, viva às fibras!

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Frango com batata doce não chega nem perto de um belo macarrão ao alho e óleo. Este espanta até urubu.

    Curtir

  2. Faltou aos cientistas aconselhar alguns exemplos, tipo dieta na hora do café, no almoço e na janta, para soltar em várias cores, tons e potência da destruição.

    Curtir

  3. Leandro Alves Dos Santos

    Não concordo muito não. Pois passei uma temporada em um retiro onde a alimentação era totalmente vegetariana e posso garantir, falo por mim, que meus puns eram muito piores do que quando minha alimentação normal com proteína animal.

    Curtir

  4. Rosana Santos De Novaes

    Esqueceram do repolho,da couve,da beterraba e do feijão,que são vegetais e criam verdadeiras bombas.

    Curtir