Assine SUPER por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Estudo mostra que flúor da pasta de dentes é, sim, essencial contra cárie

Sem o creme dental fluoretado, sua boca não está a salvo dessa encrenca

Por Luiza Monteiro
Atualizado em 14 fev 2020, 17h25 - Publicado em 8 ago 2018, 18h41

Se você é discípulo da Bela Gil e trocou a pasta de dentes pela cúrcuma para higienizar a boca, melhor pensar duas vezes e substituir o tempero por um creme dental de verdade – e, de preferência, com flúor. A substância, que passou a compor a fórmula desses produtos em 1955, vem sendo excluída em versões mais “naturais” de pastas. Acontece que ela é essencial para prevenir a cárie, já que acelera a recomposição do esmalte, desgastado constantemente por bactérias que se alimentam de restos de comida (principalmente açúcares) e provocam a corrosão da camada superficial (em casos graves, de partes mais profundas) do dente.

Um estudo publicado na última segunda-feira (6) no Gerodontology, periódico especializado em odontologia, reforça essa história. O time de pesquisadores da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, chegou a essa conclusão após revisar trabalhos científicos que acompanharam adolescentes que usavam apenas fio dental e escova (sem pasta) para limpar a boca. Notou-se que a prática não reduziu os índices de cárie entre eles – até porque, muitas vezes, as cavidades aparecem em áreas que não são facilmente alcançadas.

Embora o uso de cremes dentais fluoretados seja recomendado por especialistas e entidades odontológicas, muitas pessoas – inclusive dentistas – acreditam que uma boa escovação bastaria para evitar que os dentes fiquem esburacados. “Esses achados violam princípios que nós aprendemos, ensinamos e acreditamos”, disse Richard Niederman, dentista e professor da Universidade Nova York, em entrevista ao jornal americano The New York Times. “Isso me diz que a escova é um mero ‘meio de transporte’”, complementa.

Continua após a publicidade

Para Philippe Hujoel, que liderou a investigação da Universidade de Washington, pode até ser que excluir o flúor da higiene bucal tenha algum efeito, mas não o suficiente para ser notado em uma pesquisa. Então, se você está a fim de aderir a uma rotina mais natureba, melhor não começar pela limpeza diária da boca – ou, no mínimo, consulte um especialista antes de substituir o creme dental por novidades que ainda não se mostraram totalmente seguras e eficazes.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

A ciência está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por SUPER.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.