Clique e assine a partir de 8,90/mês

EUA fazem primeiro teste de vacina contra o coronavírus em humanos

45 pessoas entre 18 e 55 anos estão participando do teste em Seattle – mas a vacina, se funcionar, ainda deve demorar meses para chegar ao público

Por Maria Clara Rossini - Atualizado em 25 mar 2020, 14h27 - Publicado em 18 mar 2020, 18h01

Enquanto a maioria das pessoas está fazendo home office ou tendo aulas pela internet, a comunidade médica e científica continua dentro dos laboratórios para desenvolver uma vacina para o novo coronavírus. O Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos anunciou nesta segunda-feira que os primeiros testes de uma possível vacina já estão sendo realizados em humanos.

O objetivo inicial é verificar se a fórmula é segura para a saúde das pessoas. Só depois dessa primeira fase outros estudos vão comprovar se ela de fato funciona. Dada a urgência da situação, a vacina não foi testada em animais antes

A vacina está sendo desenvolvida pela empresa Moderna Therapeutics, que estuda o novo coronavírus desde janeiro, quando os primeiros casos começaram a despontar na Ásia. A vacina foi desenvolvida em tempo recorde: 42 dias depois que a China anunciou o vírus. Isso só foi possível porque os cientistas já conheciam os parentes do novo parasita: os coronavírus SARS e MERS.

Mas não vá achando que a vacina é a salvação da pandemia. Apesar de os testes já terem começado, eles são só os primeiros de uma série de procedimentos. A vacina, se funcionar, só deve estar disponível para o público daqui pelo menos um ano. Até lá, o que vai decidir se o vírus vai se alastrar ou não são as ações individuais e medidas de prevenção adotadas pelos países.

Continua após a publicidade

A cidade americana escolhida para o primeiro teste foi Seattle. Ela fica no estado de Washington, um dos mais afetados dos EUA, com quase mil casos confirmados. Inicialmente, 45 pessoas saudáveis entre 18 e 55 anos recebem uma primeira dose da vacina. Eles devem receber a segunda dose daqui a 28 dias.

Os pesquisadores estão testando três doses diferentes – cada uma em um grupo de 15 pessoas. Quatro participantes receberam a vacina na segunda-feira (16) e outras quatro receberam na terça (17). Os outros 37 devem receber em breve.

No total, os participantes devem ser observados por um ano. No entanto a diretora da Moderna Therapeutics afirmou em entrevista que deve entrar com um pedido para a Food and Drug Administration (a Anvisa americana) para seguir com os próximos testes em algumas semanas, assim que saírem os primeiros resultados sobre a segurança da vacina. A segunda rodada de testes já mede tanto a segurança quanto a eficácia. Ela deve ser realizada com um número ainda maior de pessoas.

É bom lembrar que outras empresas também estão na corrida pela vacina, mas esta foi a primeira a chegar na fase de testes em humanos. Em um cenário de colapso econômico, a Moderna Therapeutics está se dando bem: as ações subiram 24% só nesta segunda.

Publicidade