Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Alerta amarelo: pão na chapa aumenta o risco de diabetes

E a vilã dessa história está debaixo do seu nariz – derretendo em cima do pão

Por Pâmela Carbonari Atualizado em 13 nov 2018, 15h45 - Publicado em 21 fev 2017, 16h40

Poucas coisas conseguem traduzir tão bem o aconchego de um café da manhã quanto o democrático pão com manteiga na chapa. Seja no balcão da padaria da esquina, seja cercado por uma louça pomposa, o pão com café triunfa como um clássico informal da cozinha brasileira.

Mas se você já está visualizando a manteiga correndo no pão quentinho e se dissipando nas fibras do carboidrato, é melhor frear sua imaginação – principalmente se você tiver tendência a problemas de coração. Apesar de irresistível, essa cena não é tão inofensiva quanto parece.

  • Um time internacional de cientistas descobriu que comer duas fatias de pão com manteiga todos os dias pode duplicar o risco de diabetes em pessoas propensas a doenças cardíacas.

    Eles monitoraram os hábitos alimentares de mais de 3 mil pessoas e perceberam que aqueles que consumiam 12 gramas de gordura aumentaram em duas vezes o risco de desenvolverem a doença nos quatro anos seguintes.

    A manteiga virou o alvo da pesquisa porque ela é formada por ácidos graxos saturados e gordura trans, associados ao aparecimento de diabetes tipo 2 – que tem como uma de suas causas a obesidade e os maus hábitos alimentares.

    Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores analisaram a relação entre o tipo de gordura e a quantidade consumida por 3.349 pessoas do programa PREDIMED (Prevention With Mediterranean Diet). Todos os participantes eram espanhóis, não apresentavam nenhum quadro de diabetes, mas tinham propensão a desenvolver problemas de coração.

    Continua após a publicidade

    Depois de quatro anos e meio de acompanhamento, 266 voluntários se tornaram diabéticos. Os cientistas perceberam que a probabilidade de ter a doenças era duas vezes mais alta nos participantes que consumiam grandes quantidades de gorduras saturadas e de origem animal. Em contrapartida, aqueles que comiam iogurte natural integral regularmente demonstraram um menor risco de diabetes.

    Para os pesquisadores, o estudo é mais uma prova da eficácia da dieta mediterrânea – típica da Espanha e rica em legumes, cereais integrais, frutas, vegetais e pouco baseada em alimentos industrializados de origem animal, como embutidos.

  • “Esses resultados chamam a atenção para os benefícios da dieta mediterrânea na prevenção de doenças crônicas, particularmente diabetes tipo 2, e a importância de substituir gorduras saturadas e animais por aquelas encontradas em fontes vegetais, como azeite e nozes” afirma a professora Marta Guasch-Ferre, da Universidade Harvard. O estudo foi publicado no periódico americano de nutrição American Journal of Clinical Nutrition.

    Apesar da pesquisa ter sido feita com voluntários espanhóis, a descoberta da correlação entre o consumo de manteiga e diabetes é crucial por se tratar de uma doença crescente interligada a hábitos alimentares e outros problemas como excesso de peso, obesidade, inatividade física, e que afeta populações em todo o mundo.

    Para se ter uma ideia da ascensão da doença, o número de pessoas com diabetes aumentou quatro vezes nos últimos quarenta anos. De acordo com um relatório divulgado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 422 milhões de adultos conviviam com diabetes em 2014. No Brasil, a OMS estima que, até o ano passado, mais de 16 milhões de adultos sofriam com a doença e que ela seja responsável pela morte de 72 mil pessoas por ano.

    No próximo café da manhã, vale se perguntar se um pão na chapa é tão essencial assim.

    Continua após a publicidade
    Publicidade