Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Comer muito bacon e salsicha contribui para o câncer de mama, diz estudo

Segundo revisão com mais de 1 milhão de mulheres, exagerar no consumo de carnes processadas eleva o risco da doença. Mas não há motivo para desespero

Por Luiza Monteiro Atualizado em 4 out 2018, 08h36 - Publicado em 3 out 2018, 19h04

Já houve muito alarde no mundo científico (e nos nossos corações) pela associação entre o alto consumo de bacon, salsicha e salame, e o maior risco de câncer.

Um novo estudo – liderado por cientistas da Universidade Harvard, nos Estados Unidos – traz de volta essa dor no coração ao relacionar carnes processadas à maior probabilidade de mulheres desenvolverem um tumor maligno específico: o de mama.

A pesquisa, divulgada no International Journal of Cancer, revisou 15 artigos científicos já publicados que analisaram o elo entre esses alimentos e o tipo de câncer mais comum entre as mulheres. No total, os trabalhos incluíam mais de 1 milhão de voluntárias.

O que os experts atestaram é que abusar de hot dog e X-bacon tem, sim, relação com uma maior incidência de tumores mamários. O risco de desenvolver a doença se mostrou 9% maior entre aquelas que comem esses alimentos com frequência.

Não é a primeira vez que câncer e carne são associados. Pela análise dos estudos, os cientistas concluíram que a propensão ao câncer de mama é 6% maior entre as mulheres que não abrem mão de colocar filé mignon ou picanha no prato todos os dias.

Mas calma: não há motivo para sofrer pela linguiça desperdiçada. Os estudos avaliados na revisão não apontam um mecanismo de causa e efeito entre o consumo de carne processada e o câncer de mama. Então, não dá para cravar que o consumo desses itens provoca, de fato, a doença. Mas serve de alerta para você avaliar como anda sua alimentação. “Reduzir o consumo dessas carnes já pode ser benéfico para prevenir tumores”, comenta Maryam Farvid, líder da investigação.

Outro ponto a ser questionado é que os estudos não apontam qual seria uma quantidade excessiva. A pirâmide alimentar brasileira recomenda uma porção de carne por dia, o que inclui todas as proteínas animais. Segundo o guia, uma unidade e meia (100 g) de linguiça de porco grelhada equivale a duas porções; já duas unidades (100 g) de linguiça de frango grelhada representa 1 ¼ da porção diária. Lembrando que o mais saudável é sempre variar as opções que você coloca no prato. Afinal, se tem um ensinamento da sua avó que nunca esteve errado é que tudo em exagero faz mal.

Continua após a publicidade

Publicidade
Saúde
Comer muito bacon e salsicha contribui para o câncer de mama, diz estudo
Segundo revisão com mais de 1 milhão de mulheres, exagerar no consumo de carnes processadas eleva o risco da doença. Mas não há motivo para desespero

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Transforme sua curiosidade em conhecimento. Assine a Super e continue lendo

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

App SUPER para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da Super. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da SUPER, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Receba mensalmente a SUPER impressa mais acesso imediato às edições digitais no App SUPER, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

Publicidade