GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Quais são os perigos do microondas?

Antes de mais nada, é preciso muito cuidado ao usar o aparelho para aquecer água. Dentro dele, o líquido atinge a fervura sem entrar em ebulição – isto é, sem fazer bolhas. Resultado: tocar o recipiente desencadeia uma ebulição repentina, como uma explosão, provocando queimaduras graves. Outro cuidado essencial é evitar recipientes de plástico comum, em especial para alimentos com gordura. Ela faz com que o plástico, em alta temperatura, libere gases como a cancerígena dioxina. O correto é usar vidro temperado e porcelana – ou plásticos especiais para microondas. E tem mais: “A porta do forno é revestida com uma borracha que absorve as microondas, impedindo-as de vazar. Mas, depois de cerca de quatro anos de uso, essa borracha se desgasta.

Por isso, não se deve ficar olhando de perto o funcionamento do forno – coisa que as crianças fazem com freqüência – porque os olhos possuem muita água, cujas moléculas também são agitadas e aquecidas pelas microondas”, afirma o engenheiro eletrônico José Kleber da Cunha Pinto, da Universidade de São Paulo (USP). Outra recomendação é não deixar de usar o fio-terra. “Como a voltagem desse aparelho é muito alta (cerca de 2 400 volts) e sua carcaça é metálica, pode dar um choque fortíssimo se não houver fio-terra instalado”, diz José. Além disso, o forno deve ter um prato giratório – se não, como as ondas são emitidas de um só ponto para se propagarem por todo o aparelho, pode ocorrer o superaquecimento de uma parte do recipiente, fazendo-o quebrar ou explodir.

Risco explosivo
Ferver água no microondas exige cautela máxima

1 – No fogão, as moléculas de água que estão no fundo da panela se aquecem e sobem para a superfície, dando lugar às outras que ainda não esquentaram. Já as microondas aquecem todas as moléculas por igual e, com isso, as bolhas de ar formadas nas paredes do recipiente não saem do lugar

2 – Qualquer toque no recipiente basta para soltar as minúsculas bolhas de vapor de suas paredes. Ao se unirem, elas podem provocar uma ebulição repentina e literalmente explosiva, causando queimaduras graves