Clique e Assine SUPER por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Tarefas domésticas ajudam a manter seu cérebro saudável, diz estudo

Está em quarentena? Aproveite para deixar a casa um brinco – sua mente agradece.

Por Maria Clara Rossini
Atualizado em 30 mar 2020, 14h21 - Publicado em 23 abr 2019, 19h03

Cada vez mais as pesquisas demonstram que, quando se trata de atividade física, mesmo um pouquinho já faz um bem danado para a saúde. E “um pouquinho” pode ser, acredite, varrer a casa e gastar uns minutos pra lá e pra cá limpando seu quarto.

É o que indica um estudo publicado na revista científica Jama Network Open. Segundo a pesquisa, essas atividades podem garantir um cérebro saudável na terceira idade.

 A pesquisa foi feita com mais de 2 mil participantes, que tinham 53 anos, em média. Suas atividades rotineiras foram monitoradas durante três dias e, nesse período, eles também passaram por exames de ressonância para acompanhar a variação de volume do cérebro. Sabe-se que a diminuição da massa cinzenta está relacionada ao envelhecimento: cerca de 0,2% do volume cerebral é perdido a cada ano a partir de 60 anos de idade.

Os autores do estudo notaram que cada hora extra de atividade por dia, mesmo que seja uma faxina leve, garante 0,22% a mais no volume cerebral. O trabalho mostrou ainda que os participantes que davam ao menos 10 mil passos por dia – recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) – apresentavam um cérebro 0,35% maior do que aqueles que se restringiam a 5 mil passos.

Continua após a publicidade

Por outro lado, os próprios pesquisadores admitem que a pesquisa tem suas limitações. Três dias é um período muito curto para analisar o verdadeiro impacto dos exercícios na saúde da massa cinzenta. Estudos maiores e mais longos são necessários para entender a verdadeira relação de causa e efeito entre a atividade física e o tamanho do cérebro. 

Mas uma coisa é certa: o artigo reforça a importância de ter uma rotina ativa, mesmo que você não seja a pessoa mais fitness da galera. “Estamos apenas sugerindo que atividades de baixa intensidade podem ser importantes também. Principalmente para o cérebro” disse, em entrevista ao The Guardian, Nicole Spartano, autora do estudo.

 

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Super impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 14,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.