GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Americanos perderam US$143 milhões em golpes de namoro online

Primeiro vem o xaveco. Depois, pedidos de dinheiro.

Tragédias como a da paisagista Elaine Perez Caparroz, agredida violentamente em seu aportamento após marcar um encontro via Facebook, são terríveis, mas relativamente raras. Mas outro tipo de crime ligado a relacionamentos online tem se tornado cada vez mais comum.

Um relatório da FTC, órgão de defesa do consumidor dos EUA, revelou que os americanos perderam US$ 143 milhões em 2018 caindo em golpes financeiros – em geral, gente que gente que pede dinheiro e some.

De acordo com o órgão, foram registrados mais de 21 mil relatórios sobre fraudes do tipo em 2018. O número mais que dobrou nos últimos quatro anos, e o prejuízo financeiro foi quatro vezes maior: em 2015, foram 8,5 mil, e um prejuízo de US$ 33 milhões. Confira a evolução no gráfico abaixo:

A maioria das reclamações descreve abordagens parecidas. Os golpistas criam perfis falsos tanto em sites de namoro quanto em redes sociais não necessariamente voltadas para isso, como o Facebook (em tempos de inteligência artificial, alimentar esses perfis com fotos é moleza).

As desculpas são as mesmas: eles não podem se encontrar pessoalmente com as vítimas porque estão fora do país viajando ou servindo no exército.

Depois de alguns meses de xaveco, os pedidos de dinheiro começam. Geralmente, são para cobrir despesas médicas ou pagar uma viagem de volta aos EUA. O valor médio dos golpes foi de US$2.600, sete vezes mais do que a média de outros tipos de fraude monitorados pela FTC.

Segundo o relatório, a faixa etária dos 40 aos 69 anos foi a que mais perdeu dinheiro. No entanto, foram os idosos acima de 70 anos que mais se prejudicaram individualmente. O valor médio do golpe a partir dessa idade foi de US$ 10 mil por pessoa. Sim, estão sacaneando velhinhos à procura de um par romântico.

As fraudes de namoros online são uma subcategoria do que a FTC chama de “golpes de impostores”, que incluem desde pessoas que passam pelo governo até larápios que chegam na sua casa alegando ser do suporte técnico. Em 2017, foram 348 mil golpes do tipo reportados ao governo dos EUA, totalizando um prejuízo de US$ 328 milhões.

No fim das contas, é melhor apostar no bom e velho “desconfie de estranhos”. Na pior das hipóteses, vai sair mais barato do que confiar.