Clique e assine a partir de 8,90/mês

Campanha de crowdfunding quer criar muro entre EUA e México

Iniciativa já arrecadou mais de US$ 5 milhões. É quase nada perto do valor necessário para a obra - mas o criador do projeto diz que sabe como chegar lá.

Por Guilherme Eler - Atualizado em 20 dez 2018, 16h53 - Publicado em 20 dez 2018, 16h06

Uma campanha no site de financiamento coletivo GoFundMe quer realizar um sonho que Donald Trump mantém desde 2016, quando ainda era candidato à presidência dos Estados Unidos: construir um muro separando o país do México.

Até a tarde de quinta-feira, 20 de dezembro, o projeto já havia superado a marca de US$ 5,3 milhões, doados por mais de 87 mil entusiastas da ideia. O montante é pequeno se comparado à meta de US$ 1 bilhão estabelecida pela vaquinha – e está muito longe dos US$ 5 bilhões que Trump cogita gastar na obra. Ainda assim, a adesão é impressionante, sobretudo se considerarmos que a página existe há apenas três dias.

Quem encabeça o projeto é o americano Brian Kolfage, que tem 37 anos e vive na Flórida. Na página, ele se apresenta como um “veterano de guerra tri-amputado” que possui “uma página de figura pública verificada no Facebook”. Kolfage foi condecorado com a medalha Purple Heart devido ao período que lutou na guerra do Iraque – onde, em 2004, perdeu parte de um dos braços e as duas pernas. A homenagem costuma ser dada a cidadãos que foram feridos ou mortos à serviço das forças armadas americanas.

Kolfage foi ferido por uma bomba iraquiana – mas direciona sua revolta aos imigrantes latinos. “Muitos americanos já foram assassinados por esses aliens ilegais e muitos deles estão tirando proveito dos contribuintes, sem qualquer intenção de contribuir de alguma forma com nossa sociedade”, escreve Kolfage na página da campanha.

Continua após a publicidade

O americano diz que 100% das doações, que devem ser depositadas em sua conta pessoal, serão destinadas à obra. Além disso, se compromete a devolver a grana caso não atinja a meta “ou chegue muito perto dela”. “Se cada uma das 63 milhões de pessoas que votaram em Trump der US$ 80, podemos construir o muro. Esse total soma os US$ 5 bilhões pretendidos, mas, mesmo se conseguirmos só metade, já será metade do muro”, escreve o ex-militar.

Mas o governo poderia aceitar o dinheiro da campanha de crowdfunding e usá-lo na obra? Na opinião de Kolfage, sim. Ele cita como exemplo os US$ 7,5 milhões doados por contribuintes, em 2015, para reparar monumentos históricos destruídos em Washington, capital do país.

Não é exagero dizer que a proposta alternativa de financiamento veio na melhor hora possível. Na terça-feira (18), Trump havia abandonado suas tentativas de conseguir os US$ 5 bilhões para a construção do muro com o Congresso americano. Orçamentos aprovados pelo Senado na quarta-feira (19) também deixam de fora a demanda.

A ideia inicial de Trump era que o México pagasse pela barreira. O país, é claro, rechaçou a ideia, o que obrigou o líder americano a tentar levantar os fundos necessários pelas vias tradicionais.

Continua após a publicidade

Pelo Twitter, Trump reiterou que o México já está pagando indiretamente pelo muro, que, segundo o presidente, será construído. A obra impactaria o novo acordo de comércio na América do Norte, que substituirá o Nafta.

Os apoiadores de Trump conseguirão chegar à marca necessária? O tempo dirá.

Publicidade