Clique e assine com até 75% de desconto

Visitantes são banidos de Yellowstone após cozinharem frango nas fontes termais

Apenas em 2020, foram registradas 122 prisões e multas envolvendo turistas que visitavam o parque americano. Conheça alguns casos.

Por Carolina Fioratti 11 nov 2020, 18h56

O Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos, é conhecido por suas fontes termais e ampla biodiversidade, que abriga diferentes espécies de animais. A região, que fica entre os estados de Wyoming, Montana e Idaho, foi declarada patrimônio mundial pela Unesco em 1978 – 106 anos depois de sua fundação.

O que atrai os turistas é também o que coloca muitos em risco: a atividade hidrotermal do parque, com águas que podem ultrapassar os 200 ºC. Mas isso não pareceu preocupar um grupo de três colegas que foram acampar no local em agosto deste ano. Pelo contrário: o calor liberado em um dos gêiseres do parque parecia ideal para preparar o jantar. Então, eles cozinharam dois frangos ali mesmo. 

Mas o banquete custou caro. Um guarda florestal do parque encontrou as aves dentro de sacos na fonte e algumas panelas soltas pelo local. Nesta hora, os três amigos estavam com outras pessoas tomando banho em um rio próximo, mas um deles voltou a tempo de explicar a situação ao vigia. No dia seguinte, o oficial do parque retornou ao acampamento com intimações, que exigiam o comparecimento deles ao tribunal.

Dois dos homens chegaram até mesmo a ficar alguns dias na prisão. Agora, foram divulgados detalhes sobre a sentença: dois anos de liberdade condicional e multa entre U$500 e U$1.200. Além disso, os três viajantes foram proibidos de visitar Yellowstone durante todo esse período. 

Eric Romriell, um dos cozinheiros envolvidos no episódio, explicou que faz viagens mensais como chefe dos escoteiros e não tinha intenção de danificar o local. De acordo com ele, sua equipe sempre recolhe framboesas e mirtilos para fazer milkshakes, além de amarrar salsichas sobre as fontes termais para ferver e preparar cachorros-quentes. Quanto ao frango, o homem explica que estava envolvido em três sacos para que não prejudicasse o meio ambiente. Romriell diz que leu o regulamento do parque em que dizia ser proibido “jogar, lançar ou rolar pedras ou outros itens” nos gêiseres, mas que não interpretou como deveria. 

Continua após a publicidade

Cozinhar frango nas águas termais não traz risco apenas para a natureza, mas também à vida dos participantes. Para chegar à fonte, eles precisavam caminhar sobre crostas finas e frágeis que ficam acima da água, que poderiam facilmente se partir. 

Outros casos

Este não foi o primeiro – e provavelmente não será o último – caso inusitado a ocorrer em Yellowstone. Na verdade, só em 2020 já foram registradas 122 prisões envolvendo turistas que foram processados e pagaram fiança. 

No passado, o exército americano tomou conta do parque por décadas, já que alguns turistas pescavam, cozinhavam e até mesmo lavavam roupas nas fontes da região. Havia ainda o costume de jogar moedinhas nas águas – para simular uma fonte dos desejos. Claro que isso não era nada saudável para o ambiente.

Em outubro deste ano, um acidente no parque não acabou bem. Uma garota de três anos desviou correndo da trilha – que delimita onde os visitantes podem caminhar – e acabou caindo em uma fonte térmica. A criança teve queimaduras de segundo grau nas costas e pernas. Em 2016, um homem de 23 anos e sua irmã também desviaram cerca de 225 metros da trilha. Durante o percurso, ele escorregou e caiu na Bacia do Gêiser de Norris, morrendo no local. 

Mas os acidentes não ocorrem apenas nas fontes. Em junho deste ano, uma mulher foi chifrada após tentar tirar uma foto próxima de um bisão. A recomendação das autoridades é que as pessoas fiquem a 25 metros de distância do animal, mas a senhora de 72 anos estava a apenas três. Ela sofreu ferimentos graves e foi transferida de helicóptero para o Centro Médico Regional do Leste de Idaho. Se você planeja visitar o Parque Nacional de Yellowstone nas próximas férias, já sabe o que não fazer. 

Continua após a publicidade
Publicidade