GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Algoritmo consegue prever se o seu relacionamento vai dar certo

O programa conseguiu acertar o futuro de 80% dos casais, analisando apenas o tom de voz que eles usavam para conversar entre si.

Terminar um relacionamento dói de verdade – para o seu cérebro, parece que você apanhou de alguém. E se fosse possível pular toda a dor no coração e saber, desde o início, se o namoro vai dar certo ou errado? Um grupo de pesquisadores da Universidade de Southern California criou um algoritmo que chega muito perto disso.

Os cientistas usaram gravações de sessões de terapia de 134  casais para treinar o software que prevê o futuro dos relacionamentos. Na terapia convencional, os psicólogos geralmente analisam no bate papo do casal alguns “marcadores comportamentais”: eles avaliam quando um cônjuge culpa o outro pelos problemas ou o quanto está aberto a aceitar o outro como ele é, por exemplo. Já o algoritmo ignora o que as pessoas falam – ele presta a atenção no tom de voz que elas usam para conversar.

Veja também

Segundo os pesquisadores, focar na altura, no timbre e na intensidade da voz dos casais é melhor do que a análise de comportamento. Isso porque a forma com que falamos tem uma ligação forte com o jeito de lidarmos com as emoções.

Deu muito certo: o computador era capaz de acertar em 80% das vezes como os casais da gravação estavam depois de dois anos de terapia. O vidente high-tech ainda dava detalhes – conseguia indicar se o relacionamento iria: 1) piorar nos próximos anos; 2) ficar na mesma; 3) melhorar com o tratamento; 4) se recuperar completamente.

Veja também

A taxa de acerto do algoritmo foi maior do que a dos psicólogos que avaliaram manualmente o conteúdo das mesmas sessões – mostrando que a forma como as coisas são ditas tem um significado ainda maior que as palavras em si.

O problema é que o programa, por enquanto, nivela os casais por baixo: ele foi treinado para reconhecer características negativas, usando conversas entre pessoas que já estavam em crise. Assim, o algoritmo sabe diferenciar se a treta é suportável ou sinal de divórcio – mas ainda é analfabeto nas emoções positivas que fazem o amor valer a pena.