GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Como baixar e ouvir música

Compartilhar arquivos, baixar discos de uma vez, baixar músicas em pedaços, ouvir novidades em rádios, conhecer gente com mesmo gosto que você. mergulhe no rico e infinito mundo da música na Internet

A internet mudou nosso jeito de ouvir música

Muito já foi transformado desde que mp3 virou sinônimo de música, que a banda larga foi difundida e que o iPod virou moda. Ouvir música deixou de ser uma experiência indivi- dualizada para ser cada vez mais coletiva. E a oferta de estilos é enorme – não há um gênero, por mais esquisito que seja, que não esteja representado. Seja em mp3 blogs, em redes P2P, em diretórios de torrents, em centrais de podcast ou em sites de relacionamento, aqui você encontra as principais formas de baixar e ouvir música.

Netlabels, os selos digitais

São grupos de artistas de vanguarda que divulgam seu trabalho formando coletivos e websites que espalham música gratuitamente sob licenciamento CreativeCommons (que dá ao ouvinte a liberdade de distribuir os arquivos, mas não lucrar com eles). Existem confrarias onde seus trabalhos podem ser baixados, como http://www.scene.org.

Ficou refém do Pandora?

O site francês Blogmusik (blogmusik.net) tem acervo de música pop baseado em paradas européias e americanas, mas nele também é possível subir mp3 de sua autoria para fazer parte do acervo, blogar e compartilhar o que está ouvindo. Substitui o Pandora (pandora.com), que, agora, só pode ser ouvido nos EUA.

Novos artistas e djs brasileiros

O TramaVirtual (tramavirtual.uol.com.br) virou prioridade da gravadora Trama – depois que o site revelou Cansei de Ser Sexy e Bonde do Rolê. Outro site que reúne notícias, entrevistas, fórum, podcast, sets de djs em mp3 e stream é o Rraurl (rraurl.uol.com.br). E, para quem gosta de hip-hop, Bocada Forte (bocadaforte.com.br).

Pesquise tudo antes

Há várias opções para se informar sobre músicas, mas nada como o velho e bom All Music (www.allmusic.com). Serve para ajudá-lo a lembrar o nome do artista, a década em que ele atua, as músicas de cada álbum e em alguns casos fornece a letra das músicas. Bom para consultar antes de baixar ou comprar algum álbum que você não conhece.

Baixar

Existem várias formas de baixar música na Internet, por pedaços espalhados e arquivos compartilhados. Escolha a que combina com você

P2P

Neste esquema, cada usuário baixa música de outro usuário, intermediados por um programa comum. Por isso essa rede é chamada de “ponto a ponto”. Uma vez conectado, você vira cliente (porque copia do outro) e servidor (porque fornece suas músicas) ao mesmo tempo. Por isso, seja rigoroso na hora de escolher quais pastas do seu computador serão compartilhadas.

Emule – http://www.emule-project.net

Como é? Funciona dentro das redes Kad e eD2K, que não precisam de um servidor central.

Como funciona? São mais de 100 servidores disponíveis, você pode escolher um ou todos ao mesmo tempo. Cada arquivo possui o número de cópias disponíveis online (quanto mais cópias, mais rápida a transferência). Os usuários podem trocar mensagens através do programa e através do chat IRC, além de monitorar o desempenho de downloads e uploads em dados estatísticos. Aqueles que contribuem bastante dentro da comunidade ganham créditos e privilégios.

Como baixar? A especialidade são os álbuns compactados em um único arquivo (.zip, .rar). Uma boa opção para baixar cds inteiros. É difícil ter fila de espera para um download, apenas se o arquivo tiver uma única fonte.

Alerta:

Alguns arquivos disponíveis podem vir modificados com spywares. Capriche na proteção.

Limewire – http://www.limewire.com

Como é? Surgiu como opção principalmente para os usuários de Mac, mas hoje serve a diferentes sistemas operacionais e tem versão em português.

Como funciona? É integrado principalmente ao programa iTunes – tudo que estiver na sua playlist do Itunes será compartilhado. O usuário faz pesquisas pelo nome dos arquivos e pode ouvir as músicas já baixadas no próprio programa.

Como baixar? Pesquisando pelo nome dos artistas, álbuns, bandas.

Soulseek – http://www.slsknet.org

Como é? Programa que tem como propósito divulgar artistas independentes. Há 4 anos é também um selo digital (SLSK Records).

Como funciona? Os usuários registrados se conectam a um servidor. Cada usuário tem identidade própria – por isso, cada um pode vasculhar todos os arquivos e pastas compartilhadas de outros em suas pesquisas – e puxar conversa. Ainda existem salas onde gente com interesses em comum se conhece e troca arquivos e mensagens.

Como baixar? Já que existem regras de etiqueta, fique esperto: um usuário pode banir outro por querer baixar muitas músicas de uma só vez – mais de 40, por exemplo. Caso não encontre o que procura, deixe marcado na Wishlist. Como a relação de troca entre usuários é individual, procure aqueles que tenham a menor fila de download e a velocidade média de transferência mais rápida. E, com paciência, faça sessões de uso longas – às vezes é preciso esperar mais de um dia até conseguir os arquivos desejados.

E para Macs?

Oficialmente, o Soulseek é um programa que roda em Windows. Mas existem versões terceirizadas para Mac OS (procure por soulseeX e SolarSeek) e Linux (procure por Museek).

Bittorrent – http://www.bittorrent.com

Como é? Assim como o sistema P2P, o sistema BitTorrent mantém a relação de troca de usuário a usuário. Cada um hospeda e transfere o arquivo entre todos os usuários que possuam cópia dele, por isso você baixa os arquivos em pedaços, de diferentes usuários. Uma boa opção, pois, se o usuário de quem você está baixando fica off-line, seu download não pára. Traduzindo ao pé da letra, é uma “corrente de bits”, ou seja, você acessa vários pedaços de um arquivo, até formá-lo inteiro.

Como funciona? Cada arquivo, aqui chamado seed (pode ser uma música, mas geralmente é a pasta de um álbum completo e sem compactação), é encontrado graças a um rastreador colocado em um minúsculo arquivo – entre 1 kb e 30 kb – e baixado (por um “sanguessuga” – leech). O download não é feito de forma linear, mas, sim, pegando pedaços de diferentes posições de vários seeds.

Como baixar? O primeiro passo é encontrar o torrent do arquivo desejado. Para isso, procure uma fonte saudável em sites que concentram torrents – como Mininova (mininova.org), Torrentspy (torrentspy.com) e o próprio BitTorrent.com. Existem sites que buscam sites de torrents, como o torrentz.ws, que o direciona para a fonte. Uma vez salvo (parece que nada acontece), o arquivo torrent deve ser adicionado a um programa que gerencia os downloads. Os 3 principais são o próprio cliente BitTorrent, o µTorrent (utorrent.com) e o Azureus (azureus.sourceforge.net) – programado em Java, como o LimeWire). Com um desses abertos você seleciona a opção Abrir arquivo torrent, e o programa executa o download. Para compartilhar suas músicas, você usa esses mesmos gerenciadores, que transformam seus arquivos mp3 em arquivos torrent. Mas atenção: não mova o arquivo original da pasta onde está salvo.

Máfia dos torrents

Funcionando dentro do protocolo BitTorrent, o OiNK (oink.cd) é uma comunidade fechada de troca de mp3 onde só entra quem é convidado e que aplica com rigor suas leis de conduta. Entre elas, a de que é preciso oferecer uma boa quantidade de músicas para poder baixar – e não apenas sugar tudo o que o lugar oferece sem dar nada em troca (tudo isso monitorado). Mais importante, talvez, é o fato de que os usuários são bastante ortodoxos quando o assunto é qualidade da versão digital – um mp3 de 192 kbps, geralmente uma medida aceita pela maioria porque lembra a qualidade de uma faixa de cd, nunca é bom o suficiente.

MP3 blogs

Como é? São blogs de música. Atualmente, é uma das principais formas de apresentar novos artistas e também de perpetuar a existência de raridades, já que o autor também disponibiliza links para download de faixas ou álbuns.

Como funciona? Basta acessar o link disponibilizado (“salvar destino como/save target as…”). Há duas maneiras de compartilhar música através de um blog de mp3: através de um servidor próprio ou de um servidor gratuito (YouSendIt, SendSpace, MegaUpload, RapidShare, zShare, DivShare). Ambos hospedam o link por um determinado período de tempo – ou conforme a demanda. Mas quem procura álbuns completos vai sempre encontrá-los compactados em um desses servidores gratuitos.

Ajuda para achar os mP3 Blogs:

Existem dezenas de milhares de mp3 blogs em atividade. É tanta informação que fica difícil acompanhar. Mas existem sites que funcionam como sistema de busca dentro de blogs de mp3 e assim oferecem lista de atualizações mais recentes: veja elbo.ws, hypem.com e o super- detalhista Critical Metrics (criticalmetrics.com), que fornece comentários sobre sites importantes.

Uau!

Na “megasuper-mammoth mp3 blog list” do Gravybread blog (gravybread.wordpress.com/mega-mp3-site-list) você vai direto aos melhores da categoria em diferentes gêneros. São quase 1 500 links para você escolher seus favoritos.

FIQUE ESPERTO!

Algumas gravadoras e operadoras de celular também vendem mp3, como Warner e Tim.

Lojas de MP3

Como é? A maneira legal – e paga – de baixar música da internet. As lojas, geralmente ligadas a corporações, licenciam as faixas junto às gravadoras e aos artistas para vendê-las ao consumidor em arquivos de alta qualidade. É a maneira mais heterogênea também, já que diferentes lojas virtuais vendem arquivos em diferentes formatos – aac, mp4, wma, wac, flac e mp3 – e, por isso, as instruções para ouvir as músicas no iPod ou num toca-cds podem ser as mais variadas.

Como funciona? De duas maneiras: o consumidor, através de uma conta (grátis), escolhe músicas até atingir o limite do que pagou. Atualmente, o preço de uma música fica entre US$ 0,88 (PayPlay.fm) e US$ 2,50 (Beatport.com) – ou seja, entre R$ 1,65 e R$ 5. Nas lojas nacionais, uma faixa custa, em média, R$ 1. Mas um álbum pode variar entre R$ 10 e R$ 40 (o mesmo preço de um cd).

Como baixar? Após finalizar o pedido, as lojas geralmente disponibilizam o endereço de um arquivo compactado com as músicas adquiridas. Em diversos casos, existem limitações quanto ao número de cópias que se pode fazer dos arquivos.

As lojas virtuais

As lojas online atuam em duas frentes – consumidor doméstico e o dj. Em ambos, um dos principais trunfos é a agilidade: em 10 minutos se finaliza uma compra, desde a pesquisa inicial até o download.

No Brasil

UOL Megastore (megastore.uol.com.br)

Trabalha unicamente com artistas licenciados no Brasil. Um dos principais atrativos é o acervo de música erudita em boa oferta.

Sonora (sonora.terra.com.br)

Funciona como um canal interativo dentro do portal Terra, onde os usuários podem ouvir e comprar (são mais de 500 000 músicas entre nacionais e internacionais).

iMusica (imusica.com.br)

É uma distribuidora de música digital com viés popular (tem até forró).

Internacional

iTunes Store (apple.com/itunes/store)

A loja oficial do iPod, funciona dentro do iTunes, aplicativo da Apple. Reúne 5 milhões de arquivos e ainda transmite milhares de programas de rádio.

PayPlay (payplay.fm)

Representa vários artistas independentes, distribuídos em 18 categorias, com cerca de 1,3 milhão de músicas. Gente nova na vitrine.

Beatport (beatport.com)

Referência para djs e fãs de música eletrônica. Promove concursos de remixes, tem diversos lançamentos exclusivos e distribui quase 450 000 artistas. Foi a primeira a disponibilizar o catálogo de selos importantes como Strictly Rhythm (house) e Underground Resistance (techno).

Bleep (bleep.com)

O braço virtual da gravadora inglesa Warp é especialista em distribuir digitalmente os artistas de gravadoras de médio porte da ilha britânica (como XL, Ed Banger e Domino). Promove novos lançamentos (álbuns, singles e EPs), novos selos e também trabalha com catálogos.

Last.fm – Pesquisa o seu gosto musical

A last.fm é uma rádio online interativa que ajuda a montar o seu perfil musical a partir de estatísticas, gerando uma playlist atualizada. A rádio monitora o que os membros ouvem no Winamp, no iTunes ou no Windows Media Player, e assim vai moldando inteligentemente os perfis. Se você busca a banda Magnetic Fields, vai ouvir, além dela, várias outras bandas que “se parecem” ou que são adoradas pelos fãs, como Of Montreal e Arcade Fire. Com um conceito parecido, foi elaborado o Simplify Media (simplifymedia.com), que dá ao usuário a facilidade de ouvir música que está no computador de casa e a de ouvir música que está no hd de usuários cadastrados com o mesmo programa, tudo através do iTunes.

Ouvir

Basta sintonizar a URL de rádios online, assinar podcasts ou criar sua própria playlist a partir de acervos de sites para ouvir música na internet, sem que seja preciso gastar muito espaço no HD. veja só:

Podcast

Como é? É uma seleção musical feita por alguém que disponibiliza o arquivo no site. Às vezes é preciso baixar na sua máquina ou então no seu iPod. Em alguns casos você apenas clica e ouve no próprio site. Também é possível assinar o podcast e ficar sabendo de cada atualização.

Como funciona? Procure o podcast de seu interesse e veja se dá para baixar, ouvir ou assinar. Para encontrar podcasts, procure nos principais diretórios do gênero (podcastdirectory.org, podcastdirectory.com, podfeed.net). Existem programas que gerenciam a assinatura de podcast, são os podcatchers, como o próprio iTunes, o Media Monkey (mediamonkey.com) e o Juice (juicereceiver.sourceforge.net/index.php).

Como ouvir? Direto no computador, através de qualquer player de mp3, ou copiando os arquivos para um tocador portátil.

Rádios online

Como é? Entre as que são em tempo real, existem as emissoras AM e FM que transmitem na web e as que foram concebidas para internet. Existem também as rádios que oferecem discos para ouvir em streaming e canais definidos por estilo, mais aquelas que permitem ao internauta montar sua própria lista de músicas.

Como funciona? As transmissões dinâmicas, ao vivo, já existem quando se sintoniza e continuarão existindo depois que deixar de ouvir. Já a transmissão estática por um determinado tempo tem link para audição ou download em demanda.

Como ouvir? Cada tipo de rádio pode gerar playlists em até 4 formatos, referentes a cada programa – Windows Media, Winamp, Real, Winamp, iTunes (em .m3u, .wma, .ram, .aac, .mp3), ou abrir um player embutido na próprio navegador. É só manter o player de preferência atualizado.

Dial online

No Brasil

Rádio UOL (radio.musica.uol.com.br) e a Rádio Terra (radio.terra.com.br) oferecem, grátis, bons programas autorais, canais definidos por estilos e álbuns inteiros.

Nos EUA

A AOL tem um grande canal (music.aol.com/radioguide/bb), com mais de 200 rádios online gratuitas. Outra grande rede americana de estações (1 800 ao todo) é a gratuita SHOUTcast – tem 775 000 ouvintes.

Na França

Radio Nova tem transmissão ao vivo de música de muito bom gosto e podcasts (novaplanet.com/radio-nova/podcast).

Qual emissora mais nerd de todas?

Cybernetic Broadcasting System (www.CBS.nu), que oferece mais de 250 000 obscuras músicas eletrônicas, experimentais e exóticas dos últimos 50 anos, a partir de um banco de mixes, vinhetas e audiotrailers de filmes de terror.

Streaming? O que é isso?

Ouvir música em streaming significa que elas estão sendo executadas em outro lugar, ou seja, você não as baixou no micro para poder ouvir.

Portal de podcasting

Um dos principais portais de podcasting é o Odeo (odeo.com), onde são disponibilizados mais de 3,5 milhões de mp3 em 100 000 canais de áudio diferentes. O site já conta com 310 000 usuários cadastrados. É possível tanto fazer download como ouvir na própria página, além de criar um player Odeo para sua página pessoal. No portal estão áudios de palestras e programas de rádio, por exemplo.

Sites de relacionamento

Como são? Comunidades de networking em que se conhecem novas pessoas, artistas e música através de gostos em comum. As páginas de perfil já incorporam, além da descrição básica e da vitrine de amigos, blog, player com músicas, galeria de fotos e vídeos.

Como funciona? Quando o site de relacionamentos funciona, ele cria sua própria cena, formada por artistas já bem reputados que interagem com o público, novos artistas que surgem no local e crescem em popularidade a partir do boca-a-boca e a base de fãs e curiosos, um alimentando o outro.

Quais os mais legais? Os primeiros foram MySpace (myspace.com) e Multiply (multiply.com) – o MySpace fez do player embutido na página um padrão entre os sites de relacionamento. A partir dele, hoje existem duas novas redes sociais que desenvolveram suas funções: o Trig (trig.com) e o Mog (mog.com), que funcionam como ferramentas de autopublicação com blog, laboratórios coletivos de escrita, biografia, player próprio e mais espaço para upload de músicas (tanto para artistas como para usuários).

Como baixar e ouvir? Novos artistas costumavam permitir que as pessoas fizessem o download (em baixa qualidade, arquivos entre 96 kbps e 128 kbps) das músicas de seus perfis no MySpace, mas hoje é cada vez mais difícil baixar esses arquivos. Resta usar os players de cada uma dessas comunidades.

IRC – The Scene a sociedade secreta do mp3.

Dentro do IRC (Internet Relay Protocol, um dos primeiros serviços de chat da internet) existe um círculo restrito de audiófilos digitais extremamente sistemáticos e elitistas chamado The Scene. É um dos segredos mais bem guardados da internet – quase uma maçonaria onde músicos, produtores e infiltrados em altos lugares na indústria fonográfica expandem suas já vastas discotecas (mas não ganham dinheiro algum com a troca de arquivos). Os participantes dessas redes sociais ripam em mp3 praticamente tudo lançado nos últimos 70 anos, seja em vinil, fita cassete ou em cd, e disponibilizam toda essa música em servidores FTP privilegiados, altamente protegidos por criptografia e com armazenamento na casa dos terabytes. É sistemático, com um banco de dados que costura tudo. Mas para fazer parte dessa Scene é preciso se dedicar a um grupo com afinco e não basta conhecer alguém que esteja dentro.

Tocadores de mp3: os “players”

iTunes – http://www.apple.com/itunes

Tem visual clean e introduziu neste segmento a pesquisa dentro da playlist – você pensa em uma música que quer ouvir e a encontra com 3, 4 letras digitadas. Ganhou outra relevância com o surgimento do iPod, quando passou a ser quase obrigatório, funcionando como intermediário.

Real Player- http://www.real.com

Já foi referência entre os players, principalmente pelo formato de stream, o .ram. Perdeu espaço nos últimos 4 anos como tocador musical – priorizou os arquivos de vídeo e ficou muito pesado. Hoje tenta se levantar com uma loja online de música, a Rhapsody (rhapsody.com).

Winamp – http://www.winamp.com

Um dos mais antigos e mais confiáveis players de mp3. É leve, estável e muito fácil de usar, além de permitir customizações visuais (mas não tem sistema de busca de playlists). Hoje já está integrado ao iPod e ajuda na montagem de seleções prontas a serem queimadas em cd.

Windows Media Player- http://www.microsoft.com/windows/windowsmedia/download/alldownloads.aspx

O player-padrão do sistema Windows vem instalado e não tem como desinstalar. É pouco útil na criação de listas de músicas, sua interface é confusa e também é bastante limitado como tocador de mp3.

Novidade – Songbird – http://www.songbirdnest.com

É um navegador com um player integrado para quem freqüenta blogs de mp3, sites de relacionamento e lojas online. Sua função principal é a de criar prévias inteiras das músicas disponíveis para você ver se quer baixar, facilitando sua vida.

A história do download de músicas

1991 – É criado o mp3. A primeira música encodada no formato foi Tom’s Dinner, de Suzanne Vega.

1995 – A internet comercial chega ao Brasil.

1999 – Em junho, é lançado o Napster; em setembro, o Audiogalaxy; a Jovem Pan estréia as transmissões de rádio via web.

2000 – A demo I Disappear, do Metallica, vaza no Napster. Vaza também o disco Music, de Madonna – ambos se posicionam contra o programa P2P; a internet banda larga chega ao Brasil.

2001 – O Napster é fechado após ser processado pela RIAA; a Apple lança o primeiro iPod, com 5 GB; é criado o protocolo BitTorrent.

2002 – O Audiogalaxy é fechado após ser processado pela RIAA; surgem outras redes em P2P, acessadas por programas como Kazaa Lite e eMule; é criado o primeiro mp3, o Fluxblog.

2003 – O Soulseek, criado em 2001, se fortalece como alternativa entre os P2P com quase 1 milhão de usuários registrados; é lançada oficialmente a iTunes Music Store.

2004 – É fechado o Supernova.org, um dos primeiros e mais populares sites de pesquisa de torrents; o termo podcast começa a se disseminar pela internet; surge no Brasil o TramaVirtual, espaço para a produção dos músicos independentes.

2005 – O MySpace é comprado pela News Corporation por US$ 580 milhões; o tribunal americano decide que as empresas Grokser e Streamcast, de compartilhamento de mp3 em P2P, podem ser processadas por induzir à violação de direito autoral; são criados os primeiros agregadores de mp3 blog.

2006 – Explode a fama do site Last.fm, que funciona como rádio, rede de relacionamento e fornece sons de acordo com o gosto do internauta, atraindo milhões de usuários em 232 países diferentes.

2007 – O número de usuários de banda larga atinge 5 milhões e 250 milhões de arquivos mp3 são baixados a cada semana, no mundo.