Clique e assine com até 75% de desconto

Enfim, astros de verdade

Astrônomos americanos avistam quatro asteróides entre as órbitas de Marte e Júpiter e resolvem homenagear os quatro integrantes do conjunto, catalogando seus nomes para os quatro asteróides junto à União Astronômica Internacional.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h50 - Publicado em 30 jun 1990, 22h00

Eles tiveram urna carreira meteórica, venderam quantidades cósmicas de discos e entraram para a história como as mais cintilantes estrelas da música pop do século. Quando as sondas Voyagers, em 1977, levaram para o espaço uma gravação com uma amostra de sons terrestres, a sua canção Here comes the sun só não foi incluída por mesquinhos problemas de direitos autorais. Até recentemente, porém, os Beatles eram astros só na Terra mesmo. Para reparar tamanha injustiça, dois astrônomos americanos, Brian Skiff e Edward Bowell, quando avistaram quatro asteróides entre as órbitas de Marte e Júpiter, resolveram lançar uma homenagem aos integrantes do famoso quarteto de Liverpool. Na hora de catalogar os pequenos astros na União Astronômica Internacional, como de praxe, eles exerceram o direito de batismo que cabe aos descobridores de corpos celestes e os chamaram Lennon (n° 4147 na classificação da UAI), McCartney (4148), Harrison ( 49) e Starr (4150). Let it be.

 

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade