Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

O que se salva no Hubble

Telescópio espacial apresenta defeito em um dos seus dois espelhos, mandando fotos embaçadas.

Por Da Redação Atualizado em 31 out 2016, 18h52 - Publicado em 31 ago 1990, 22h00

Durante três anos, os astrônomos esperaram pelo dia que o Telescópio Espacial Hubble começaria a enviar imagens jamais vistas no Universo. Mas um microscópio defeito de fabricação em um dos seus dois espelhos adiou esse sonho. Agora, é como se o telescópio estivesse com catarata: a luz dos astros, que seria captada com clareza, fica embaçada. Isso o impede de distinguir astros muitos próximos entre si e de detectar a luz fraca dos confins do Cosmo. Segundo o astrônomo brasileiro Ivo Busko, que trabalha no tratamento das imagens do telescópio, em Baltimore, nos Estados Unidos, está se tentando compensar o defeito, alterando o programa de computador que converte em imagens os sinais digitais enviados do espaço. De todo modo, a agenda de trabalho do Hubble foi alterada: nos próximos meses, ele será usado para determinar a composição e a velocidade dos astros e para fotografar na faixa do ultravioleta. “Apesar dos problemas”, confia Busko, “o Hubble ainda poderá fazer observações melhores que as de qualquer telescópio terrestre”.

 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade