GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Talibã lança aplicativo de propaganda e é derrubado por Google

Grupo quer ampliar sua inserção na internet, mas app com vídeos durou pouco tempo na Play Store

O Talibã lançou seu primeiro aplicativo de propaganda na Play Store, loja para dispositivos Android, na última sexta-feira. Mas a novidade da milícia islâmica durou pouco e no dia seguinte o aplicativo foi removido da loja pelo Google.

O grupo extremista, sediado no Afeganistão, disse à agência Bloomberg que quer ampliar sua visibilidade e seu uso dos recursos tecnológicos. O conteúdo do app contava com vídeos e outras mensagens ideológicas do Talibã, que também já teve contas no Facebook e no Twitter  removidas por propagar ideais terroristas.

O site oficial do Talibã, “A Voz da Jihad”, segue online, com atualizações diárias da atividade do grupo em cinco línguas diferentes e já fez até sessões de perguntas e respostas ao vivo. Para evitar ser removido também, o site muda frequentemente seu provedor de serviço à internet.

LEIA: 7 conflitos atuais causados por diferenças religiosas​

O Google não comentou especificamente sobre a remoção do app, mas afirma que remove todos os aplicativos que ferem os termos de uso da Play Store, entre eles aqueles cujo conteúdo promove o discurso de ódio e a violência. Ainda assim, o Talibã afirma que o aplicativo, que recebeu o nome de Alemarah, só foi removido por ter passado por “dificuldades técnicas”.

Desenvolvedores de aplicativos para Android em geral passam por um período de avaliação antes que possam publicar seu produtos, mas o sistema de revisão ainda deixa passar grande parte dos aplicativos, que já se tornam disponíveis poucas horas depois de serem enviado à Play Store.

Segundo a política de fiscalização da loja, a remoção de um app não afeta a situação daquela conta. Quem publicou o aplicativo de propaganda do Talibã pode seguir como desenvolvedor cadastrado da loja. A suspensão da conta só acontece com infrações repetidas. Apesar disso, o Talibã já anunciou que voltará a colocar o aplicativo no ar em breve.

LEIA TAMBÉM: 
Terror digital
-O ninho do ISIS
Quase 80% das mortes por terrorismo foram registradas em apenas cinco países​