Clique e assine a partir de 8,90/mês

Uso de desktop dispara durante a quarentena

Mais tempo em casa significa mais tempo em frente às telas – e não estamos falando apenas da telinha do celular.

Por Guilherme Eler - Atualizado em 29 Maio 2020, 15h29 - Publicado em 20 Maio 2020, 12h54

A quarentena fez o que parecia ser impossível: ressuscitou nossa relação com os computadores de mesa.

Nos EUA, a frequência com que usuários acessam sites como YouTube, Facebook ou Netflix via desktop disparou durante o isolamento. Esse aumento chegou a 27% no caso do Facebook* – o uso do app da rede social em smartphones, porém, cresceu só 1,1%.

Essa tendência apareceu até mesmo no site da SUPER: em fevereiro de 2020, o percentual de acessos via desktop era de 17%. Em maio, bateu os 22,7% – 33% maior.

A resposta pode estar no maior número de pessoas fazendo home office – e intercalando trabalho e lazer na mesma máquina, o desktop.

A tendência, ao que tudo indica, não é temporária. Uma pesquisa com 375 empresas nacionais mostrou que 70% delas esperam continuar o home office (ainda que parcial) após a quarentena.

Continua após a publicidade
Publicidade