Químicos medievais buscavam a fórmula do ouro

O que é alquimia?

 

Imagine se toda a matéria do mundo fosse formada por quatro elementos: água, ar, fogo e terra. Teoricamente, seria possível, apenas alterando a proporção deles, transformar um material em outro, fundir cobre, ferro, estanho, chumbo, misturar com mercúrio, arsênico, sais e obter o metal perfeito: o ouro. Era o que acreditavam os alquimistas da Europa medieval. Hoje, a idéia parece ingênua. “Eles não conheciam a estrutura atômica e não podiam observar moléculas e elementos químicos”, conta Ana Alfonso-Goldfarb, professora de História da Química Antiga e Medieval na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. “Mas suas idéias eram extremamente lógicas.” Além de conhecerem processos sofisticados de laboratório, eram capazes de fazer ligas metálicas e reações químicas. Foram os precursores da Química, à qual legaram o nome: Al khemía, em egípcio, quer dizer transmutação. Foram os árabes que levaram a alquimia para a Europa.

publicidade

anuncie

Super 342 - Êxodo Como um grupo de escravos se aproveitou de um colapso no clima para fugir do Egito, dar origem à maior de todas as histórias da Bíblia e mudar para sempre a civilização. Assine a Super Compre a Super

Superinteressante ed. 342
janeiro/2015

Êxodo
Como um grupo de escravos se aproveitou de um colapso no clima para fugir do Egito, dar origem à maior de todas as histórias da Bíblia e mudar para sempre a civilização.

- sumário da edição 342
- folheie a Superinteressante

Você está na área: Ciência

publicidade

anuncie