GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Os 5 métodos mais estranhos já usados para contrabandear drogas

Pó no donuts, maconha na cenoura, comida mexicana à la Breaking Bad. As táticas usadas no tráfico internacional parecem sair direto da ficção

Você já devem ter ouvido muitas histórias – algumas trágicas – sobre o tráfico de drogas e as formas de carregar as “encomendas” através de fronteiras. Alguns desses métodos surpreendem pela criatividade – e, por isso, o Business Insider reuniu as mais bizarras (e, de certa forma, criativas) tentativas de contrabando que foram apreendidas pela polícia. Conheça as cinco melhores histórias:

A cenoura de fumar

(US Customs and Border Patrol/Reprodução)

A equipe de Proteção à Fronteira dos Estados Unidos apreendeu, em janeiro de 2016, um estranho carregamento de cenouras frescas. Misturadas aos vegetais legítimos, vinha mais de 1 tonelada de maconha, dividida em pequenas porções com forma de cenoura. Para completar o “disfarce”, elas eram enroladas em fita adesiva laranja e misturadas aos sacos. A salada aconteceu no Texas.

Sobremesa acelerada

(MagMos/iStock)

Segundo a BBC Mundo, soldados no México confiscaram pacotes de donuts que tentavam atravessar para os EUA com uma receita gourmet: ao invés de ser coberto de açúcar, o doce estaria salpicado de cocaína. Deve ter uma afinidade entre o donut e a droga, porque, em 2013, também foram encontrados pacotes do pó escondidos na embalagem do doce.

Los Pollos Hermanos

(US Customs and Border Patrol/Reprodução)

Esse caso aconteceu no Arizona, mas lembra Breaking Bad: 1,5 kg de metanfetamina foi encontrado, em outubro de 2016, empacotado dentro de pilhas de tortilhas. A carga estava com um homem de 62 anos que tentava atravessar a fronteira a pé (mas ninguém falou nada sobre ele ser careca e usar chapéu e óculos escuros).

Sushi empoeirado

(Mexican Marines/Reprodução)

Outra tentativa que ficou famosa no México aconteceu em 2009. Um carregamento de tubarões congelados continha, dentro dos bichos, pacotes cheios de cocaína. Aparentemente, existe uma lógica por trás disso: os peixes, que estragam rápido se descongelados, seriam mantidos menos tempo no porto – e aí, a esperança era que a pressa atrapalhasse a inspeção da polícia.

Gamificação do tráfico

(US Customs and Border Patrol/Reprodução)

Um adolescente de 16 anos tentou entrar nos EUA a pé, pelo Arizona, em setembro de 2016. Por algum motivo, porém, ele chamou atenção dos cachorros da polícia. Quando eles abriram a mochila do rapaz, encontraram o motivo da comoção: o videogame Xbox que ele carregava. Foi só dar umas porradinhas no console que os oficiais encontraram 1,5 kg de metanfetamina escondida junto aos circuitos.