GABRILA65162183544miv_Superinteressante Created with Sketch.

Caso Mega-Sena: a maior aberração estatística da história.

Dos 17 bilhetes premiados na Mega-Sena, três são de uma única lotérica, em Parelheiros, na Zona Sul de São Paulo. Isso já seria uma aberração, mas a Veja apurou que o buraco é ainda mais embaixo: uma única pessoa teria feito três apostas iguais, por engano, no meio de várias outras.

Se ela tivesse sido a única ganhadora, não faria diferença. Essa pessoa levaria os R$ 306,7 milhões com um bilhete ou com 10. Mas, como houve vários ganhadores, a história é bem diferente.

Com o prêmio em R$ 306,7 milhões, cada um dos 17 bilhetes premiados deu direito a R$ 18 milhões, certo? Se o apostador, ou apostadora, de Parelheiros tivesse feito um jogo só, teríamos 15 ganhadores, e cada um terminaria com R$ 20,4 milhões. Mas não. Ele fez três, então ganhou o direito a três das 17 “cotas” vencedoras. E levou R$ 54 milhões; o triplo do resto.

Para efeitos práticos, então, é como se esse sujeito tivesse ganhado três vezes na Mega-Sena. Não que isso tenha acontecido de fato. Ganhar, ele ganhou uma vez só. Mas a chance de apostar acidentalmente nos mesmos números dentro de um mesmo concurso, e cada um desses jogos acabar dando direito a um prêmio milionário, equivale a vencer na Mega três vezes. E isso é uma aberração estatística maior do que parece.

A chance de vencer na Mega com um jogo simples, de seis números (como foi o caso aqui) é de uma em 50 milhões. A de vencer duas vezes, porém, não é de 100 milhões, mas de 50 milhões vezes 50 milhões. Isso dá uma chance em 2 quatrilhões (o número 2 seguido de 15 zeros, ou 2 x 10ˆ15, em notação científica). A chance de ganhar três vezes, então, é de 50 milhões ao cubo. Ou seja: 125 sextilhões, ou 125 mil bilhões de bilhões – 125 x 10ˆ21.

Para você ter uma ideia de quão grande é este número, imagine que, há 125 sextillhões de segundos, o Big Bang ainda não tinha acontecido. O Universo existe há 13,8 bilhões de anos. Isso dá “só” 430 quintilhões de segundos – um número mil vezes menor que a sorte do apostador de Parelheiros.

Em seu livro “O Universo Elegante”, o físico Brin Greene dá um exemplo bacana para explicar o tunelamento quântico – grosso modo, a propriedade que partículas subatômicas têm de desaparecer num lugar e aparecer em outro, como se tivessem atravessado uma parede. Greene mostra que tais aberrações até poderiam acontecer no mundo das coisas grandes. Você teria como atravessar uma parede se todas as zilhões de partículas que formam o seu corpo sumisse e reaparecessem do outro lado ao mesmo tempo. “Se você tentar atravessar um muro um vez a cada segundo, você vai ter de esperar mais tempo do que a idade corrente do Universo para ter uma boa chance de sucesso. Com paciência (e longevidade) eterna, porém, você acabaria aparecendo do outro lado, cedo ou tarde”, diz Greene.

É isso. Se o apostador de Parelheiros tivesse gasto sua sorte tentando atravessar um muro, tudo indica que ele teria conseguido. Agora, porém, ele vai ter de se contentar com seus R$ 54 milhões mesmo.

—————————————-

Texto atualizado em 05/01/2018 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Eliton Justino

    Aberração é esa materia! O cara nao ganhou tres vezes, ele apenas repetiu a mesma aposta em tres bilhetes, entao a chance de ganhar é a mesma de um unico bilhete, ele podia fazer 50 bilhetes com o mesmo numero que a chance de acertar era a mesma!

    Curtir

  2. Eliton Justino

    O rapaz fez uma mesma posta e repetiu em tres bilhetes.. a chace de acertar é a mesma, pois se trata de um unico numero.. dai se ele fisesse 50 bilhetes com o mesmo numero a chance de acertar era a mesma de um unico bilhete, só que na mesma loterica ia sair com 50 ganhadores!

    Curtir

  3. Lucas Moraes

    Eliton, pense comigo:
    1 raio cair no mesmo lugar é difícil.
    3 raios cairem no mesmo lugar ao mesmo tempo, é mais difícil ainda.
    Simples de se entender. Discordo da sua opinião sobre a matéria, na verdade foi você que não entendeu. Enfim… Grande abraço.

    Curtir

  4. Marcus Vinicius de Campos Magalhães

    O cara tem uma bola de cristal e previu o futuro… como ele tinha certeza dos números e viu também que ia dividir o prêmio com muita gente, jogou 3 vezes.

    Curtir

  5. Neto Almeida

    Erro gravíssimo de matemática nessa matéria. Usando seis números num universo de 60 dezenas se permite 50.063.860 de combinações, e ponto! Mais que isso é impossível.
    A matéria também não relata a verdadeira história do apostador. Ele ficou encarregado de fazer o bolão de amigos. Preencheu por engano o mesmo jogo em três bilhetes. Só na hora de conferir os jogos é que verificou que havia feito três jogos iguais.
    Conheço pessoas que pedem para passar o mesmo bilhete da Lotofácil por dez vezes na máquina registradora, gastando 20 reais. Caso a pessoa acerte 11 dezenas, ela receberá 40 reais. Se acerta 12 dezenas receberá 80 reais. Se acertar 13 dezenas receberá 200 reais. Acertando 14 dezenas, o prêmio pode variar de 5 mil reais a 20 mil.

    Curtir

  6. Prof. Pasquale

    Matéria mal redigida mesmo. Ele repetiu, por engano, as três apostas. A chance é de uma única aposta com 6 números. Não é difícil de entender. Eu mesmo já joguei duas vezes na mesma rodada da mega por engano. Fiz um jogo e esqueci. No outro dia, refiz. Sempre jogo os mesmos 6 números. Se meus seis números fossem sorteados, seriam dois caminhos: acertar sozinho e levaria e bolada com um bilhete ou dois; ou acertar com outras pessoas e teria direito a duas cotas do prêmio, pois joguei dois bilhetes iguais, por engano.
    O exemplo da matéria é como se o cara tivesse acertado a mega em três ocasiões diferentes!

    Curtir

  7. A matéria está equivocada porque trata o bilhete como se fosse um evento aleatório. Seria ganhar na loteria três vezes se ele tivesse preenchido os três bilhetes aleatoriamente e ainda por cima acertado a sena. Do ponto de vista “ganhar na mega-sena”, os números é que são aleatórios e, portanto, todos os 17 jogos são um só evento.

    Curtir

  8. Marcio Bologna

    Aberração é ou a falta de conhecimento de estatística ou a falta de compromisso com a realidade do repórter, que ignora que os eventos das três apostas NÃO foram independentes uns dos outros. Só pra fazer a conexão com uma ideia bonita… O time da Super já foi MUITO, mas MUITO melhor!

    Curtir

  9. Marcela Passos

    Maracutaia sim ou claro?
    O cara jogou três volantes iguais no mesmo bilhete e disse que não percebeu (Oi?), como o cara jogaria três vezes o mesmo jogo no mesmo bilhete sem perceber? Coincidência esse mesmo cara levar três prêmios enquanto milhares de apostas foram feitas por todo o Brasil. Como tudo no país do pão e circo é possível, por que o brasileiro se surpreende com isso?

    Curtir

  10. Alguém interdita o autor do texto, pelo amor…
    Fez uma lambança de dar dó com a matemática. O ganhador tem 3 bilhetes IGUAIS, as chances dele não são multiplicadas como mostra o texto. A chance dele com os 3 bilhetes é exatamente igual a chance de qualquer outra pessoa com 1 bilhete. Se ele jogasse 75 bilhetes com os mesmos números, a chance seria exatamente igual de uma pessoa com 1 bilhete.
    Volta pro ensino médio rapaz! E ainda paga de sabichão citando física no final. E é autor de livro de economia ainda…. Minha nossa…

    Curtir

  11. Tiago Santos

    Materia feita pelo diretor de redação! O tamanho do absurdo matemático e estatístico que existe nessa matéria não merece sequer comentários! Não bastasse ser um erro grotesco ele ainda é envolto em cientificismo a que tentam dar ar de verdade! Pelo amor de Deus! Super interessante é descobrir como está matéria foi ao ar!!

    Curtir

  12. Miguel Alves Mesquita

    Na realidade esse é o primeiro laranja ao cubo. Ninguém escolhe as mesmas dezenas em três jogos, a não ser com a certeza do ganho. O maior roubo dessa loteria é a manipulação do resultado, por isso tantos acúmulos, com sequências de dezenas seguidas em vários sorteios, contrariando a probabilidade matemática.

    Curtir

  13. GUANABARA JUNIOR

    Se eu fosse um dos outros ganhadores acharia errado, pois houve apenas um único prognostico, a pessoa é que repetiu os cartões, então por que ele tem direito a mais cotas?

    Curtir

  14. Essa revista está mais para superinconsistente… como já comentaram, que aberração probabilística!

    Curtir

  15. Luciene Campos

    Em tempos de incerteza, saber vale muito, mas saber interpretar vale ainda mais. Amei a sátira ! Pirei com a analogia “surreal” (ou quase). Não me surpreendeu a irreverência e pensamento cartesiano da maioria. Essa racionalidade toda não aparece quando deveria … Carpe diem !

    Curtir

  16. INDIO CRACKUDO

    Um matemático ecentemente disse que nesse caso são mais ou menos 1 chance em 600 milhões. Vocês também estão equivocados ou fumando muito crack.

    Curtir

  17. Tiago Santos

    O G1 fez o trabalho jornalístico que faltou a SuperInteressante (junto com as aulas de matemática).. segue a matéria explicando o erro absurdo desta matéria! https://g1.globo.com/educacao/noticia/qual-e-a-chance-de-uma-unica-pessoa-acertar-tres-vezes-na-mega-sena.ghtml

    Curtir

  18. André de Souza

    Não há como acertar três vezes na mega-sena no mesmo concurso, pois, apenas uma combinação de seis números será sorteada! O contemplado acertou uma vez só fazendo três apostas com os mesmos números. Simples assim.

    Curtir

  19. André de Souza

    Ao Sr./Sra. “GUANABARA JUNIOR”: o apostador tem direito às três cotas simplesmente porque ele pagou por elas. Cada aposta que é feita na mega-sena, quina, lotofácil etc. gera um número de registro relativo à aposta. Portanto, como ele possui três dos dezessete números de registro de aposta contemplados, obviamente, tem direito a cada uma das cotas destinadas a cada uma das apostas. Se ele tivesse repetido, em vez de três, catorze vezes a aposta contemplada, teria direito à metade do prêmio.

    Curtir