Clique e assine com até 75% de desconto
Bruno Garattoni Vencedor de 12 prêmios de Jornalismo. Editor da SUPER.

Webcam mostra hamburguer e fritas do McDonald’s com 10 anos de idade

Por Bruno Garattoni Atualizado em 25 nov 2019, 16h01 - Publicado em 19 nov 2019, 14h56

Em 2009, a rede de lanchonetes foi embora da Islândia – mas uma pessoa teve a ideia de guardar o último lanche para a posteridade. Veja como ele está

Em 2008, a Islândia sofreu um colapso econômico sem precendentes. Nos anos anteriores, investidores de vários países haviam aplicado o equivalente a 50 bilhões de euros, ou 700% do PIB da pequena ilha, nos bancos de lá (que pagavam juros mais altos). Com a quebra de Wall Street e a consequente crise global, os investidores resolveram tentar tirar o dinheiro – e isso implodiu o sistema financeiro local. Milhares de islandeses perderam suas economias, e a moeda local, a krona, despencou 80%. Isso tornou economicamente inviável a operação do McDonald’s, que importava insumos da Alemanha – e, de uma hora para outra, viu seu produto ficar extremamente caro. Em 31 de outubro de 2009, a rede encerrou suas operações na Islândia.   

Naquele dia, o islandês Hjortur Smárason comprou o último McLanche, com hambúrguer e fritas, e o guardou num saco plástico durante três anos. Em 2012, sem apresentar sinais de decomposição, a comida passou a ser exposta publicamente em vários lugares – atualmente, está no Snotra House, um hostel no sul da ilha, de onde é vigiada por uma webcam (clique no link, ou na imagem abaixo, para ver a transmissão ao vivo).  

Snotra House/Reprodução

O lanche, que recentemente completou dez anos de idade, está um pouco desbotado, mas ainda parece bastante conservado. Segundo o McDonald’s, o sanduíche e as batatas highlander não se decompõem porque contêm baixo teor de água, o que inibe a proliferação de microorganismos (e não, como se comenta na internet, porque os alimentos contenham conservantes).  

 

Continua após a publicidade
Publicidade